domingo, 22 de novembro de 2009

Não furtarás

Sermão preparado pelo Rev. Adriano Gama sobre a doutrina bíblica ensinada no Catecismo de Heidelberg, Dia do Senhor 42.

Leitura: Êx 20.15; Êx 22.1-15; Ef 4.28
Texto: Dia do Senhor 42

Amada Congregação do Senhor,

Ao assistir a televisão e andar nas ruas tenho a forte impressão que na sociedade brasileira existe uma cultura bem estabelecida. É a cultura da enganação, da fraude, do ter lucro à custa dos outros.
Veja os noticiários sobre as Olimpíadas de 2016. Veja o cuidado do Ministério Público e Tribunais de Contas com a construção das estruturas que vão servir a esta Olimpíada. As autoridades já estão de olho, pois a roubalheira foi grande nos jogos Pan-Americanos realizados em 2007.
Vejam na televisão os escândalos de desvios de verbas estouram na mídia todo tempo.
Veja a usura institucionaliada. Os bancos e financeiras aplicando juros altíssimos e ganhando dinheiro fácil.
Veja as invasões de terra promovidas por movimentos ditos sociais, que destróem e prejudicam os bens alheios.
E nos meios religiosos? São noticiadas as suspeitas de lavagem de dinheiro, negociações milionárias com dinheiro dos fiéis para se evitar o pagamento de impostos, etc. O Ministério Público e a Receita Federal já estão de olho nas operações das megas denominações religiosas, que têm um verdadeiro império universal ou internacional que de graça e do poder, ou do Reino de Deus não tem nada.
Meu irmão, ande pelas ruas do seu bairro e veja o descarado comércio de material conhecido como pirata! Algo que é criminoso segundo as leis do nosso país, mas que o brasileiro já tem como aceitável e normal!
Meu irmão, a cultura da fraude, do dolo é uma mania nacional. E uma cultura presente em todas as classes da sociedade seja a alta ou a mais baixa. A corrupção está implantada no Brasil de baixo para cima e de cima para baixo, de norte ao sul, de leste ao oeste desse país. É uma cultura da fraude, da defraudação, a cultura do “jeitinho brasileiro”.
E toda essa cultura de defraudação, roubo, furto e toda sorte de esquemas malígnos tem o alvo: Tirar proveito a custa do próximo!
Essa cultura malígna mostra a necessidade da pregação da Palavra de Deus para o Brasil, pois nossa nação, começando na Igreja de Cristo, deve ouvir o que Deus nos proibe e exige no Oitavo Mandamento e recorrer Àquele que tem o poder de salvar o homem da corrupção maior de todas: o pecado.
Por isso, Deus chamou você aqui para ensinar o que a igreja deve fazer para honrar o Nome do SENHOR e levar outros a Salvação em Cristo. Ouça neste momento a Pregação da Palavra de Deus no seguinte tema:

Não furtarás

A proibição no mandamento
A exigência no mandamento

1. Não furtarás: A proibição no mandamento

O ensino bíblico sobre o oitavo mandamento é “que Deus não apenas proíbe o roubo e o furto que as autoridades punem …”.
Reconhecemos a autoridade das autoridades civis. As autoridades civis são instrumentos de Deus para manter a ordem e a justiça entre os homens. Por isso, as autoridades devem ser respeitadas por todos. Porém, a Igreja não se guia somente pelas palavras das autoridades civis, ou seja, pelas leis do país para dizer o que é furto ou roubo.
A Carta Magna do Cristão é a Escritura! Por meio da Escritura o cristão deve julgar as leis do Brasil e atendê-las naquilo que elas concordarem ou não ferirem a Escritura.
E nesse contexto a sua primeira pergunta quanto ao furtar deve ser: O que Deus diz na Escritura sobre o “não furtar”? O que Deus proibe neste mandamento para mim?
Meu irmão, o Espírito Santo diz “não furtarás” em Êx 20.15. A palavra hebraica usada pelo Espírito Santo no oitavo mandamento é usada 60 vezes na Escritura para descrever: roubos, furtos, ações fraudulentas, sequestro ou rapto de pessoas, ganhar a simpatia das pessoas por meio de enganos ou dinheiro.
A palavra hebraica traduzida como “furtar” no mandamento, então, não proibe somente um pecado específico, mas todas os pensamentos e ações pecaminosas que tenham a natureza de tirar malignamente proveito, que prejudique os bens alheios, que de alguma forma defraude o próximo! Por isso, a igreja confessa o que há no DS 42, P e R 110.
Agora, meu irmão e demais ouvintes, note a frase: “não devemos defraudar o nosso próximo de maneira nenhuma, nem pela força nem pela aparência de direito”. Podemos dizer que está frase contém o resumo claro da proibição contida no Mandamento.
Sendo assim, quando alguém desvia um milhão de reais dos cofres públicos ele defrauda seus próximos. Mas, também quando alguém compra ou adquiri um cópia não autorizada de um DVD, CD, Livro, etc. essa pessoa também defrauda, pois tira o lucro daqueles que têm o direito sobre o original desses bens!
Meu irmão, você é chamado a, pela graça de Deus, cumprir o Oitavo Mandamento e repudiar todo e qualquer tipo de defraudação contra nosso próximo.
Ouvi de um homem de Deus a seguinte frase: “Com o objetivo de não quebrarmos o Oitavo Mandamento devemos perguntar a nós mesmos: O que produzo, vendo ou compro prejudica a propriedade do meu próximo, defrauda de alguma maneira o meu próximo?”
Se o Brasil fosse um pais cristão de verdade não veríamos essa cultura da defraudação, do dolo e da robalheira tão impregnada na alma de nosso povo.
O Brasil precisa (em primeiro lugar) é da Pregação da Lei de Deus e do Evangelho, para a que a roubalheira diminua!
O que o Brasil precisa é de cristãos que amam a Lei de Deus e, em Cristo, buscam cumpri-la. O Brasil precisa é de cristãos que vivam àquilo que confessam conforme a Escritura.
Tenho uma pergunta para você: Meu irmão, você tem sido anticultural? Você no seu coração e na sua prática tem repudiado a cultura do roubo, do furto, do dolo e da defrudação que está implantada no Brasil? O que você tem feito? O que você tem feito para uma reforma no espírito de nosso povo? O que você tem feito para a pregação da Lei e do Evangelho chegar ao nosso povo?
Meu irmão, se cada cristão fizer seu papel anticultural na sua casa, no seu trabalho e na sua escola o nosso Brasil verá a luz do evangelho resplandecer no meio das trevas da roubalheira. O Brasil provará o resultado do sal do Evangelho nesse país corrupto.
Agora o Catecismo termina a resposta 110 com as seguintes palavras: “Além disso Deus proíbe toda a avareza e todo o abuso e desperdício de Suas dádivas”.
Meu irmão, avareza é amor ao dinheiro. E Deus coloca a avareza como idolatria e o avarento como idólatra (Cl 3.5; Ef 5.5). E Jesus Cristo diz ninguém pode servir a dois senhores: A Deus e as riquezas!
Quando alguém ama o dinheiro ele não ama ao SENHOR Deus. E o seu amor ao dinheiro o levará a não ligar para as proibições no Oitavo Mandamento. É o amor ao dinheiro a fonte das ganâncias e das defraudações. O amor ao dinheiro leva o homem a buscar ganhar dinheiro e a obter vantagem a toda custa: Desde de furtar milhões a adquirir o material pirata, ou, cópias não autorizadas!
Outra coisa, o Catecismo também fala “Além disso Deus proíbe … todo o abuso e desperdício de Suas dádivas”. A doutrina da Escritura nos ensina que Deus é o dono de toda a terra e do que nela contém.
A Escritura mostra que Deus colocou o homem como mordomo de toda a Criação. O homem tem que cuidar e governar a criação para o Seu Dono que é o SENHOR Deus. O homem tem o dever de desenvolver a criação e de tudo que lhe foi confiado dar lucro a Deus.
Porém, a Queda já foi o primeiro calote que o homem tentou dar no Seu Senhor. E desde da Queda todo homem é ladrão diante de Deus, pois o pecado nos faz sempre abusar e desperdiçar os dons de Deus: a natureza, o tempo, o corpo, o cônjuge, os filhos, os alimentos, o dinheiro, etc. Estamos sempre abusando ou desperdissando esses e os demais dons de Deus! E assim todos os homens não cumprem a proibição de Deus!
Saiba que quando um cristão vive uma vida de abuso e desperdício dos dons de Deus ele está roubando a Deus e vive como alguém que não provou da graça de Deus em Cristo.
Muitos pensam que roubar a Deus é somente deixar de dar as ofertas. Isso também é roubar a Deus! Devemos repudiar esse pecado!
Mas, dou outros exemplos de roubo a Deus: quando gasto meu tempo na internet com coisas sem valor para minha edificação ou para edificação do meu próximo. … Quando uso meu dinheiro para adquirir coisas que não tem valor real para minha vida eu roubo a Deus. … Quando não cuido da criação eu roubo a Deus! … Quando disperdiço comida estou quebrando o Oitavo Mandamento. … Quando não sou um bom marido ou pai então eu roubo a Deus.
Preste atenção: Você que é cristão não deve viver como pessoas que estão debaixo da escravidão do pecado, abusando dos dons de Deus e os disperdiçando.
Meu irmão, estas palavras mostram como não somos justos em nós mesmos! Eu e você nos acharmos justos por que não roubamos ou furtamos com o revólver na mão, por que não participamos de esquemas malígnos que vemos nas altas classes sociais e governamentais.
Veja como a doutrina nos chama a vivermos conforme o Mandamento de Deus e cumprirmos as exigências de Deus no Oitavo Mandamento. Vamos para o segundo ponto:


2. Não furtarás: A exigência no mandamento

No Oitavo Mandamento o SENHOR Deus não só proíbe coisas ao Seu povo, mas também exige de nós algumas coisas (veja a P&R 111):

“Que eu promova o bem do meu próximo sempre que for lícito e possível; que eu trate do mesmo modo que desejaria ser tratado pelos outros e que trabalhe fielmente para ter condições de dar aos necessitados”

Amados irmãos, quem prova o amor de Deus em Cristo exerce amor ao próximo: O amor é o cumprimento da Lei.
Jesus Cristo nos ensina o resumo da Lei em Mt. 22.34-40. O Segundo grande mandamento é: “amarás o teu próximo como a ti mesmo”.
O Espírito Santo fala em Rm 13.8-10. O Espírito Santo, pelo Apóstolo, diz quem ama o próximo tem cumprido a Lei e no v. 9 cita vários mandamentos e inclui o Oitavo entre eles.
O Apóstolo conclui o v. 10 dizendo que: “o amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor”. Essa declaração expressa bem que, como nova criatura em Cristo, devemos fazer tudo o que é lícito e estiver ao nosso alcança para proteger a propriedade alheia, não produzir prejuízo e nem dolosamente se aproproiar daquilo que não pertence a mim.
Você ouviu sobre as proibições da Lei e agora ouviu as exigências da Lei. Então, faço algumas perguntas: Você gosta de ser enganado, roubado, furtado, que alguém tire o seu lucro, ou prejudicado por quem não fez seu dever para com você? Quem de nós aqui não gosta de receber ajuda no momento de necessidade?
Meu irmão, se você entende essa exigência de Deus, então, você buscará o bem do seu próximo tomando o cuidade para não “defraudar” o seu “próximo de maneira nenhuma, nem pela força nem pela aparência de direito.”
Saiba que todas as proibições do Oitavo Mandamentos são quebradas porque não praticamos o amor para com o nosso próximo, não cumprimos o nosso dever para com aqueles que Deus coloca diante de nós!
Meu irmão em Cristo, entenda que como novas criaturas temos a dívida do amor para com o nosso próximo. Essa é uma exigência de Deus no Oitavo Mandamento.
Agora o Catecismo coloca algo importante (veja a parte final da resposta 111): “Devemos trabalhar fielmente para ter condições de dar aos necessitados”.
Meu irmão, nós como novas criaturas em Cristo temos a responsabilidade de trabalhar para “fielmente ter condições de dar aos necessitados”. Essas palavras vêm de Ef 4.28. O Espírito Santo revela que o arrependimento verdadeiro é o seguinte: “Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado”!
Meu irmão em Cristo, o desejo de Deus para os seus filhos é que eles não só deixem de furtar, mas que trabalhem com o objetivo de socorrer ao necessitado!
O Seu trabalho e seu dinheiro são dons de Deus e que você deve usar para o bem do Seu próximo. O Apóstolo Paulo, pelo Espírito Santo, mostra-nos assim a exigência de Deus no Oitavo Mandamento!
Pergunto: Você tem mostrado frutos da nova vida em Cristo? Você tem trabalhado fielmente para ter condições de dar aos necessitados?
Meu irmão, você como um servo de Deus deve buscar ajudar os necessitados, primeiro os da igreja e depois os de fora! Deus exige isto de você como membro da Aliança.
Se você não tem tido condições de trabalhar para dar ao necessitado, então, peça graça e sabedoria a Deus, para trabalhar e administrar os seus bens, a fim de poder cumprir a vontade de Deus revelada na exigência da Lei.

Conclusão:

Agora, meu irmão em Cristo, Deus sabe de nossa incapacidade, por isso, por amor e misericórdia, o SENHOR enviou Seu Único Filho, para cumprir perfeitamente o Oitavo Mandamento em favor da Sua Igreja: Dolo algum foi achado na boca de Jesus!
Jesus Cristo durante todo seu ministério terreno buscou sempre o bem do seu próximo. Jesus Cristo cumpriu perfeitamente as proibições e exigências. Jesus Cristo salvou Zaqueu (um chefe de publicano que era fraudulento: Lc 19.1-10) e disse que a salvação chegou a casa de Zaqueu.
Jesus Cristo foi contado entre os malfeitores que eram dois ladrões. Jesus Cristo na maldita cruz diante dos homens e de Deus disse a um ladrão, um salteador: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso!”
Meu irmão, Jesus Cristo levou sobre si os pecados do fraudulento Zaqueu e do ladrão arrependido. Essas são provas do poder de Jesus Cristo para salvar os mais terríveis corruptos.
Então, meu irmão em Cristo, confie na obra de Cristo. Você em gratidão ao SENHOR Deus tenha a intensão sincera e grata de cumprir o Oitavo Mandamento! Você pertence a Jesus Cristo. Ele comprou você do domínio do pecado e do diabo. Note: Comprou, não roubou!
Jesus Cristo trabalhou na Cruz para comprar e benefeciar pecadores que não mereciam sua misericórdia. Então, por estar em Cristo Jesus e por provar Seu Espírito Santo, mostre em Sua vida amor a Deus e ao Seu próximo. Por isso, viva a vontade do Senhor Deus: “Não furtarás”! Amém.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cuidado com o boato sobre o Fim do 13º, mas tenha mais cuidado ainda com sua gratidão ao SENHOR

Por Rev. Adriano Gama

Recebi um e-mail de um membro da igreja que me chamou a atenção. Esse e-mail falava e convocava os seus leitores a reagir contra uma suposta tramóia do Congresso Nacional, para acabar com o 13º salário e outros benefícios trabalhistas.
Fiz uma pequena e rápida pesquisa sobre o conteúdo do e-mail e vi que era mais uma mentira divulgada na internet. Porém, essa mentira me fez refletir sobre o 13º e a gratidão dos crentes ao Senhor.


O 13º salário na verdade é uma gratificação que virou obrigação para os empregadores desde 1962, quando o presidente João Goulart sancionou a Lei 4.090/62 (A Lei que instituiu a Gratificação de Natal). Apesar de não ser um salário, essa gratificação recebeu o nome de 13º salário na Constituição Federal (Art. 7º, VIII) e é um tipo de artigo que somente uma nova Assembléia Constituinte pode mudá-lo. Isto garante ao trabalhador que não é tão fácil retirar esse benefício dele.
Mas, o que importa no momento é entendermos o principal motivo para a criação do 13º, que foi proporcionar aos trabalhadores uma melhor comemoração das festas de final de ano, especialmente, o Natal. Por isso, ele deve ser pago até o dia 20 de dezembro.
Agora, o que tem a ver esse assunto com a igreja e sua gratidão ao SENHOR? Ora, o que tem a ver é que os ministérios da Palavra e Diaconia em muitas igrejas não tem sentido a presença do 13º salário que os seus membros receberam. Não sei se isto é por falta de entendimento ou por infidelidade mesmo, mas a verdade é que muitos diáconos notam que não há aumento nas ofertas nos meses de dezembro.
Veja que se a mentira sobre o fim do 13º salário fosse verdade a proclamação do Evangelho nem os necessitados dessas Igrejas não seriam prejudicados. Os que se sentiriam prejudicados seriam os membros individuais, especialmente, aqueles que não tiram do seu 13º a sua oferta ao SENHOR.
A gratificação de natal ou 13º é uma bênção financeira. E como em qualquer bênção financeira recebida (salários-férias, outras gratificações, vendas, etc) você tem o dever (de amor) de mostrar gratidão e tirar dele as primícias e entregar essa oferta ao Senhor.
O livro de Provérbios mostra o princípio bíblico dessas palavras (Pv 3.9,10): “Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares”.
Essa passagem está dentro de um contexto de amor e fidelidade, de auto-sacrifício e devoção a Deus, de uma vida de verdadeira sabedoria (Pv 3.1-18). E o contexto mais próximo dos vs. 9,10 nos fala de uma vida que reconhece o SENHOR em todos os seus caminhos. E isto inclui reconhecer a Deus na vida financeira.
E reconhecer a Deus em sua vida financeira se mostra quando você honra a Deus com os bens e com as primícias de toda a renda que o SENHOR tem dado a você. Note primícias, o melhor, o primeiro, e não o resto!


Honrar a Deus com os bens e primícias de toda renda é uma marca daqueles que reconhecem o Senhor em todos os seus caminhos, em toda a sua vida. É a diferença marcante entre o trabalhador ou empregador cristão e os demais. Veja, por exemplo, Genesis 4.2-6.
Note a diferença entre a disposição de Abel e de Caim quanto o ofertar ao Senhor. Ambos eram trabalhadores e receberam do Senhor o fruto do seu trabalho. Porém, Caim dá “uma oferta”, mas Abel dá “as primícias do seu rebanho e a gordura deste”, ou seja, honra a Deus, dá o primeiro lugar e o melhor dos seus bens e da sua renda ao SENHOR (veja isto á luz de Hb 11.4).
E aqui surgem as perguntas: O seu 13º salário é ou não uma renda que você recebe? Então, você tem honrado a Deus com ele, fazendo retornar ao SENHOR as suas primícias?
Por isso, quero chamar com o boato sobre o fim do 13º sua atenção, não pela mentira que assustou a muitos, mas pela verdade de Deus que nos chama a mostrar honra a Deus também com essa gratificação que é tão significativa para o trabalhador, especialmente, para o trabalhador cristão.
Por que especialmente para o cristão? Por que o cristão, diferentemente, dos demais trabalhadores, não usa seus bens e seu 13º para o seu prazer somente, mas, para honrar a Deus e proporcionar o bem para o seu próximo. Sendo assim, o 13º é mais significativo para o cristão. Então, por tudo isso, imagine como é contraditório de nossa parte não tirarmos do 13º as primícias ao SENHOR.
Também chamo atenção para uma questão bem prática para vida da igreja em relação ao 13º. Note o detalhe importante que levou a criação e imposição dessa gratificação de natal.
Os empregadores e governantes, que dentre eles muitos não reconhecem a Deus na sua vida, quando criaram o 13º pensaram em dar alegria e bons festejos aos trabalhadores, especialmente, no Natal.
Lembro como era bom quando meu pai chegava com o seu 13º e minha mãe comprava o sapato e os tecidos para costurar as nossas roupas de final de ano (pai e mãe mais quatro crianças). Lembro como era gostosa a ceia de natal e até um dinheirinho para comprar um confeito. Tudo isso vinha do 13º de meu pai. Acho que a maioria de nós já passou por isso também e que gostava de provar essas coisas boas.
Você imagina que se você for fiel honrando a Deus com as primícias do 13º os necessitados da igreja ou da vizinhança poderão receber uma cesta no Natal ou uma melhor roupa para as festas? Isso não é tão bom para o seu próximo? Esse bem-estar do próximo, acrescentado a honra devida a Deus, deve incentivar você a mostrar amor com seu 13º salário.
Encerro dizendo: Fique aliviado, pois o 13º salário não vai acabar (pelo menos tão fácil). Porém, ao mesmo tempo, tenha mais cuidado em honrar ao SENHOR com as primícias dessa gratificação e assim mostre o quanto você reconhece o Senhorio do SENHOR Deus em Sua vida.
Dessa forma você mostrará que honra ao SENHOR e provará das bênçãos provenientes do Deus que é seu Dono e que faz você, em Cristo, prosperar nessa vida e na eterna. Que o SENHOR Deus te abençoe nesse final de ano com 13º e que Ele use sua fidelidade para abençoar e aliviar também a outros.

sábado, 14 de novembro de 2009

Cumpra o Sétimo Mandamento e mantenha a santidade do sexo no meio de um mundo pervertido

Sermão preparado pelo Rev. Adriano Gama sobre a doutrina bíblica exposta no Dia do Senhor 41 do Catecismo de Heidelberg


Texto: Dia do Senhor 41
Leitura: Gn 1.26-28; Êx 20.14; Lv 18.19-30; Ef 5.1-12.

Querida Congregação de Cristo e visitantes,

O Catecismo agora trata sobre o Sétimo Mandamento: Não adulterarás. Esse mandamento é dado por Deus para manter a santidade do sexo.
A igreja deve entender que o sexo é um dom que o Senhor Deus concedeu aos casais. Ele fez isto para garantir a propagação da vida humana e a continuação dessa vida no mundo.
Agora o homem, depois da Queda no Éden, corrompeu o uso desse dom. O descendente de Caim, Lameque, homem malvado, é o primeiro a tomar duas mulheres como suas esposas (Gn 4.19). Em Lameque aprendemos a corrupção do casamento e a corrupção do uso do sexo também, pois Deus estabeleceu o sexo para ser usado dentro do casamento entre um homem e uma mulher.
E da Queda para cá cresceu as distorções do sexo. Podemos ver isto claramente na passagem de Lv 18.1-30 (veja em casa toda essa parte). O Senhor Deus nessa passagem narra as praticas sexuais que eram comuns aos povos do Egito e demais nações pagãs.
E na passagem de Éfeso também percebemos quantos pecados relacionados ao sexo são mencionados e proíbidos por Deus para o Seu povo.
Hoje certas pessoas se espantam com a perversão sexual de nossos tempos. Mas, um cristão que lê a Escritura pode ver claramente que a perversão do sexo não é coisa da atualidade: bigamia, poligamia, fornicação, incestos, estupros, adultérios, bestialidades (sexo entre seres humanos e animais) e o homossexualismo. Todos esses pecados são perversões do sexo e eram praticados há muito tempo.
Então, veja que toda a voz de defesa da “liberalidade sexual” de hoje é um arremedo da voz do velho coração corrompido do homem.
O que hoje nos espanta é a ousadia daqueles que preferem uma vida de perversão sexual. Hoje os crentes no Brasil (país dito como cristão) são afrontados e criminalizados por dizer o que a Escritura diz contra as perversções sexuais.
Por exemplo, hoje qualquer cristão, independente de ser ofícial ou não, pode se complicar se disser que homossexualismo é pecado, que a prática desse pecado deve ser repudiada e que leva o seu praticante ao Inferno. Isto antes da aprovação do Projeto de Lei 122 que é batizado da Lei da “mordaça gay”.
Meu irmão, uma minoria bem organizada que defende perversões sexuais está afrontando, intimidando e querendo a legalização de velhas aberrações sexuais. Essa minoria quer empurrar suas preferências pervertidas por goela-abaixo dos brasileiros, especialmente, dos cristãos.
Você deve ver nisto que o mundo jaz no malígno. O Brasil jaz no malígno, por isso, uma minoria organizada domina uma maioria que é omissa. E a igreja não pode se intimidar diante do ataque das trevas. A igreja do SENHOR tem um chamado para se manter fiel aos mandamentos de Deus e santificar o sexo.
Por isso, a igreja deve continuar a pregar e viver a pregação do “Não adulterarás”. A igreja deve pregar com toda sua força essa mensagem de Deus para santificação da igreja e para salvação em Cristo daqueles que vivem entregues aos pecados sexuais.
Por isso, o Senhor Deus chama a Sua igreja a ouvir a seguinte mensagem:

Cumpra o Sétimo Mandamento e mantenha a santidade do sexo no meio de um mundo pervertido:

Este é o chamado de Deus contido no Mandamento
Este é o desejo de Deus revelado no Mandamento

No Sétimo Mandamento Deus ensina a você “Não Adulterarás”. E o Catecismo ensina em primeiro lugar que: “Toda a impureza sexual é amaldiçoada por Deus”!
Esta afirmação para a sociedade liberal e mundana soa como moralismo quadrado, cafona e chato. Mas, essa afirmação do Catecismo é o reflexo da Palavra de Deus.
A Escritura em Lv 18.24-30 mostrou claramente a imoralidade das nações de fora da Aliança. A Escritura mostra que Deus exterminou esses povos por terem contaminado a terra com as suas impurezas sexuais. E Deus nessa mesma passagem chama o Seu povo a santificar o sexo e a fugir das abominações sexuais.
Então, é pura doutrina da Palavra de Deus quando confessamos que “toda a impureza sexual é amaldiçoada por Deus”. Deus deixa isto bem claro para o seu povo. E Deus nessa passagem chama o Seu povo a manter a santidade do sexo (vs. 26,27). E o SENHOR estimula o povo à santidade, mostrando a maldição da Aliança ao dizer que exterminaria do Seu povo aqueles que praticassem “alguma” das abominações por Ele proibida (v. 28,29). E ser exterminado era o mesmo que ser retirado do Seu Reino, do Reino de Deus!
Agora, os liberais teológicos e os movimentos pró-perversão sexual para calar a Palavra de Deus dizem que estas são palavras do Antigo Testamento, de um Deus duro e severo. Mas, será que isto é verdade?
Deus fala a mesma coisa no Novo Testamento. E por economia de tempo vamos para Ef. 5.3-5 e acompanhe a leitura.
A igreja em Éfeso vivia em uma sociedade onde a promiscuidade sexual era algo normal e era parte da religião dessas sociedades. E certos crentes nestas igrejas queriam ou estavam tentados a viver em Cristo e viver em impureza sexual. E o Apóstolo para a salvação deles e da Igreja exorta os membros da igreja a viverem como santos.
Irmãos em Cristo e visitantes, imoralidade sexual sempre foi um pecado que ameça a igreja do SENHOR (seja no Antigo ou no Novo Testamento). E Deus sempre falou que tais pecados são abominações e trazem Sua ira sobre os seus praticantes. Assim, os liberais teológicos e o movimento pró-perversão sexual mentem e não reconhecem a Palavra de Deus.
Hoje vivemos em uma sociedade tão promíscua quanto as nações de Canaã e dos tempos dos apóstolos. Agora, o ataque de hoje parece ser mais agressivo que nas épocas passadas. Os meios de comunicação criaram uma cultura de impureza sexual explícita, que invandem as famílias pela TV, rádio, revistas e internet. Estes meios de comunicação estão debaixo do controle de uma minoria descomprometida com Deus e pró-perversidade.
Até os cristãos parecem que foram engolidos por essa cultura de impureza sexual, pois muitos dentro da igreja acham normal assistir novelas e filmes com todo tipo de impurezas, ouvir músicas que estimulam pensamentos eróticos, usar roupas em público que ressaltam a sensualidade do seu corpo, o divórcio por adultério é algo tido como normal, a fornicação não se vê mais como espanto. E o homossexualismo? Veja o silêncio dos cristãos diante da aprovação da Lei da “mordaça gay”.
Por isso, os casos de crentes que caem em “imoralidade sexual” tem crescido na igreja. Mas, meu irmão e demais ouvintes, o Espírito Santo que falou por Moisés é o mesmo que falou pelo apóstolo Paulo. Deus não engana ninguém! Deus mostra que aquele que vive uma vida de impureza sexual: NÃO VAI HERDAR O REINO DE CRISTO E DE DEUS!
Veja o v. 5: “Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus“! Aqui Deus promete a Maior e Mais terrível MALDIÇÃO que um homem pode provar!
Pergunto a você: adultério produz sofrimento? E as doenças sexualmente transmissíveis, AIDS? E a máfia sexual e todo sistema criminoso ligado a prostituição de mulheres, de homens e de crianças? E pedofilia, já pensou o sofrimento da criança e de pais que sofreram por causa de abuso sexual? E a desordem social produzida pelas crianças que são frutos de relações sexuais fora do casamento?
Esses sofrimentos JÁ É PARTE da Maldição de Deus sobre a promiscuidade sexual do Mundo. Mas, ainda não é o INFERNO. O INFERNO é ser afastado do Reino de Cristo e de Deus! Isto espera aqueles que vivem na pratica da quebra do sétimo mandamento!
Agora, lendo os textos do Antigo e Novo testamento, para quem, especialmente, é dada a PROMESSA DE MALDIÇÃO? É dada a Igreja do SENHOR! O Espírito Santo deu à Igreja de Israel e em Éfeso esta promessa.
Meu irmão, SE alguém pensa que pode viver cheio de doutrina certa e, ao mesmo tempo, em impureza sexual pode estar certo que VAI PARA O INFERNO se não se arrepender!
Meu irmão, Deus PREDESTINOU E ELEGEU VOCÊ PARA VOCÊ SER SANTO. O SENHOR Deus, em Cristo e por Cristo, fez você um filho dEle. POR CAUSA DISTO seja imitador de Deus, ande como filho da luz em Cristo, abominando e reprovando as obras das trevas, não sendo participante das obras daqueles que ainda estão nas trevas, fora de Deus, a caminho do inferno!
Nessa Palavra, o Espírito Santo, diz a você que este é o chamado de Deus contido no Sétimo Mandamento: O mandamento ENSINA a você a abominar toda impureza sexual não somente em palavras, mas “de todo coração”. Mas, não somente abominar “de todo coração”, O ESPÍRITO SANTO no Sétimo Mandamento ENSINA você a viver uma vida “pura e disciplinada”, seja você solteiro ou seja você casado!
Cristo amou, se entregou como oferta e sacrifício perfeitos a Deus, para você ser santo e em gratidão a Deus viver como convém um santo homem, mulher, jovem e criança santos ao Senhor Jesus Cristo! Deus ensina e chama a você no meio de um mundo pervertido: NÃO ADULTERARÁS!

2. Cumpra o Sétimo Mandamento e mantenha a santidade do sexo no meio de um mundo pervertido: Este é o desejo de Deus revelado no Mandamento

Veja no Catecismo a Pergunta e Resposta 109.
O Catecismo começa a resposta lembrando que cada crente em Cristo Jesus é templo do Espírito Santo. Isso é um eco das palavras do Apóstolo em 1 Co 6.19.
A Igreja é templo do Espírito Santo. O Espírito de Deus habita em cada membro da Igreja de Cristo como habitava no Santo dos Santos do templo do Antigo Testamento. Assim, Deus habita em você que está unido a Jesus Cristo pela Fé.
O Apóstolo usa a figura do “templo” do Antigo Testamento e mostra o desejo de Deus: Fugi da impureza sexual.
Todo tipo de pecado entristece o Espírito Santo. E todo pecado nasce na alma do homem e se manifesta concretamente em seu corpo. Por exemplo: A fofoca nasce na sua alma e você usa a língua para consumar.
Mas, o pecado sexual recebe um peso maior. A Escritura mostra que o pecado sexual nos mancha mais terrivelmente que todos os outros pecados. E não temos muitos detalhes para sabermos o motivo disto.
Porém, o que é claro é o desejo de Deus: fuja da imoralidade sexual. E o motivo dado também é claro: pois nossos corpos são templo do Espírito Santo, eles foram comprados com o Sangue precioso de Jesus Cristo. Os nossos corpos não são de nós mesmos, mas do SENHOR. Os nossos corpos devem servir para glória de Deus.
Esse ensino é suficiente para mostrar que o desejo de Deus é “que nos conservemos puros e santos”. Este ensino é suficiente para mostrar o motivo de Deus proibir “todas as ações impuras, gesticulações, palavras, pensamentos, desejos, e tudo que possa nos induzir à impureza”.
Meu irmão, foi pago um alto preço para que você fosse feito filho de Deus em Jesus Cristo. O SENHOR Deus santificou e comprou você com o Sangue Precioso de Jesus Cristo. O SENHOR Deus diz a você que você não pertence a si mesmo, mas a Ele e somente a Ele.
Essa realidade em Cristo Jesus e a gratidão a Deus por causa dessa obra de Cristo deve fazer você fugir da prostituição, fornicação, homossexualismo e de qualquer coisa que possa me “induzir, levar a praticar impureza sexual”.
Por que muitos cristãos caem em pecados sexuais? Porque NÃO alimentam a sua mente com essa realidade em Cristo Jesus e assim se esquecem que são templos do Espírito Santo, que são santos ao SENHOR!
Agora, você que é membro da Igreja deve estar pensando: o que devo fazer para cumprir esse desejo de Deus? Como fugir da imoraldade sexual que tanto me assedia?
Vou dizer o que você que é membro da Igreja tem que fazer para fugir e se proteger contra a imoralidade: Você deve viver uma vida como um sábio filho de Deus em Cristo, julgando pela Palavra de Deus suas ações e as ações desse nosso tempo mau. Apartando-se de coisas e pessoas que levem você à impureza sexual e buscando viver uma vida cheia do Espírito Santo (veja Ef 5.15-21)!
E o que é uma vida cheia do Espírito Santo? É uma vida individual e comunitária cheia da Palavra de Deus cantada, orada, praticada, comungada por pessoas que são gratas a Deus pela Salvação em Jesus Cristo!
Deus pergunta a você: Você tem feito essas coisas? Você tem se colocado na sua posição de filho de Deus? Você tem discernido o seu tempo e sua sociedade promíscua? Você tem reprovado as obras das trevas? Você tem vivido se separado de pessoas e coisas que levam você a impureza? Você tem individual e coletivamente uma vida cheia do Espírito Santo? UMA VIDA CHEIA DA PALAVRA DE DEUS?
Saiba de uma coisa: Quando alguém cai no Sétimo Mandamento, normalmente, essa pessoa não vive uma vida como filhos da luz, uma vida de sabedoria no SENHOR, uma vida de leitura e meditação diária na Palavra de Deus e de oração.
Muitos são cristãos domingueiros, com muita ligação e conversa com ímpios e que não promovem a Edificação no Senhor. São pessoas que vivem isoladas, sem comunhão edificante com seus irmãos em Cristo, uma pessoa que almeja seus interesses particulares em primeiro lugar.
Meu irmão em Cristo, Deus DESEJA E CHAMA você a cumprir o Sétimo Mandamento usando os meios revelados e dados pelo Espírito Santo a você!
Se, em Jesus Cristo e confiados em Cristo, atendermos o chamado de Deus e o desejo revelado por Deus no Sétimo Mandamento provaremos em nossas vidas a santidade do Sexo e manteremos essa santidade no meio de um mundo pervertido.
E saiba todos os homens que este mundo pervertido caminha para a perdição. E a salvação dessa perdição só poderá ser provada se, pela graça de Deus, houver arrependimento e conversão de pecados. Pois, o problema da imoralidade sexual, da quebra do Sétimo Mandamento, é espiritual. É a situação pecaminosa e corrupção do coração do homem que produz toda sorte de impureza. Jesus Cristo diz isto (Mt 15.19):
“Porque do coração procedem mais desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias!”
Mas, Jesus Cristo tem poder para salvar os mais vis pecadores. Ele salvou uma mulher adúltera. Mas, não só uma mulher adultera, pois veja em 1 Co 6.9-11.
O Evangelho mostra que o Sangue de Jesus Cristo é poderoso para lavar, santificar, justificar e restaurar a vida daqueles que são escravos da impureza sexual!
Por isso, O SENHOR Deus chama todos ao arrependimento em Cristo Jesus e a clamar a Cristo pela Salvação. O Senhor Deus chama você a viver em Cristo e provar a santidade e a promover a santidade do sexo. O SENHOR Deus chama você a viver essa santidade seja você solteiro ou casado.
O Espírito Santo chama você a viver, como povo de Deus, no meio mundo pervertido, tão adúltero e inimigo do Senhor.
Atenda o chamado de Deus e atenda o desejo de Deus revelado no Sétimo Mandamento. Isto, em Cristo, por gratidão, por amor a Deus, para a Glória de Deus e o para bem do seu próximo. Amém.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Não me Envergonho do Evangelho: 10º Encontro da Fé Reformada em Manaus – Um exemplo a ser seguido.


Por Rev. Adriano Gama

Amados irmãos,

Cheguei em casa as 00h00 e estou retomando o pick do Recife. Sinto-me muito edificado e tocado por tudo que provei em Manaus. A viagem foi um bênção. Tudo foi muito edificante.
As palestras do 10º Encontro da Fé Reformada (04 a 09 de novembro de 2009) foram muito boas. Para vocês terem uma idéia foi um evento que contou com a presença de mais ou menos 400 pessoas vindas de toda região da Amazônia e do Brasil. Muitos oficiais e líderes presbiterianos e de diversas denominações puderam ouvir a doutrina bíblica sobre o que é o Evangelho. O tema foi: Não me envergonho do Evangelho (Rm 1.16,17).
Os palestrantes foram Pb. Solano Portela, Dr. Pr. Valdeci Santos, Pr. Marcelo Carvalho (Missionário), Pr. Jaime Marcelino e Dr. Pr. Allen Curry (OPC – Igreja Presbiteriana Ortodoxa) e Pr. Jorge Max.


O principal palestrante foi o Dr. Allen Curry (EUA). Ele ministrou a Palavra de Deus em 4 palestras. Os seus temas foram: A Justificação pela Fé, O Evangelho de Paulo, O Evangelho e a Segurança e o Evangelho e a Adoração. O Pb. Solano Portela foi o tradutor do Dr. Allen (foto da esq para a dir.: Pb. Solano e Dr. Allen).


Estes palestrantes abordaram em 12 palestras diversos aspectos do tema. E o importante é que a Palavra foi exposta com poder, precisão e praticidade. O nome de Deus foi glorificado e muitos provaram a doutrina bíblica.

O 10º Encontro foi encerrado no sábado a noite num ambiente de muita alegria e hospitalidade no Senhor.
De fato, conheci mais uma igreja reformada em Manaus. Os oficiais da igreja, dentre eles o Pr. Jaime Marcelino, amam a doutrina e querem viver em santidade ao Senhor e são comprometidos com a Fé bíblica e buscam a comunhão com os santos. A Igreja Presbiteriana Cidade Nova tem sido um instrumento de Deus em Manaus, para a promoção da Glória de Deus nessa cidade e até no país. Temos que orar por ele cada vez mais.
Agora o que mais me impressionou e isto quero salientar nesse pequeno relato foi o seguinte: A Igreja Presbiteriana Cidade Nova ama a doutrina e se empenha para que o Encontro da Fé Reformada aconteça.

Há 10 anos ocorre em Manaus o Encontro da Fé Reformada. O Encontro toma 4 dias e ocorre no prédio da Igreja Presbiteriana Cidade Nova. E é muito bonito o envolvimento da Congregação do Senhor ali. Os irmãos dos mais abastados ao mais humilde se colocam à disposição e usam seus dons em favor do Encontro. Os participantes de longe são recebidos nas casas dos hospedeiros (irmãos que se oferecem para hospedar). A Igreja Presbiteriana Cidade Nova é uma igreja muito receptiva e ardorosa na obra do Senhor.
As Igreja Reformadas têm um modelo para ser imitado para promoção da Fé Bíblica de modo mais amplo, ou seja, fora da congregação. O Encontro da Fé Reformada é feito pela Igreja Presbiteriana Cidade Nova, ou seja, são os oficiais que tomaram a iniciativa e mobilizaram os membros (conforme seus dons) para que o encontro aconteça nesses 10 anos.

Tudo que vi em Manaus mostra-me como Deus guiou o Conselho da Igreja Reformada no Grande Recife para permitir minha viagem para o 10º Encontro da Fé Reformada. Tenho certeza que precisamos estar mais juntos dos irmãos em Cristo na IPB Cidade Nova, pois temos muito em comum e o que aprender com eles.
Encerro abrindo meu coração mais ainda aos irmãos: Durante o evento (e agora) uma das minhas orações era que o Senhor Deus, por Seu Espírito e Palavra, faça crescer em nossos corações e de todos os irmãos, especialmente, os oficiais das igrejas de Cristo, o ardoroso desejo de promover eventos semelhantes ao Encontro da Fé Reformada em Manaus. Creio que promover tais eventos está dentro do nosso mandato como Igreja de Cristo no Brasil. Devemos (cada um em seu ofício) estar prontos para anunciar a todos, usando todos os nossos dons, a glória de Deus no Evangelho que não nos é motivo de vergonha, "pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que nele crer".
Visite o site www.fereformada.com.br . Nele você encontrará as palestras e informações de como participar do 11º Encontro cujo o tema será “A Força da Pregação”. Disponibilizo as minhas fotos para alegria dos irmãos:

Pr. Jaime Marcelino





















Participantes






















Dr. Pr. Valdeci Santos





















Prs. Valdeci Santos e Adriano Gama





















Pr. Adriano Gama e Dr. Pr. Allen Curry




















Pr. Marcelo Carvalho





















Da esquerda para a direita: Anderson Gama, Maicom, Amazonas, Pr. Adriano e Pr. Marcelo Carvalho.





















Da esquerda para a direita: Pr. Adriano, Pr. Jaime e Anderson






















Pb. Solano Portela, Pr. Adriano, Pr. Jaime e Anderson Gama





















Momento entre uma palestra e outra. O Pr. Adriano conversa com Pr. Willians Borba (missionário da IPB no interior da Amazônia)






















Convite para o 11º Encontro da Fé Reformada






terça-feira, 10 de novembro de 2009

O que eu faço para melhorar a situação do meu casamento?



Rev. Adriano Gama

Esse post compartilha com vocês palavras de aconselhamento pastoral para ajudar a Família Peregrino a superar uma crise no casamento.
Cristiana das Dores Peregrino é uma mulher cristã que é casada com Eusébio Peregrino. Eles vivem como marido e mulher há 7 anos e receberam do Senhor a pequena Talita. Eles amam ao Senhor e desejam viver para Deus conforme a Palavra. Mas, como qualquer casal, eles também têm problemas conjugais.
Cristiana buscou orientação pastoral a fim de resolver, conforme a Palavra de Deus, a crise no seu casamento. Eu ainda não ouvi Eusébio, mas orientei Cristiana a fazer sua parte como mulher cristã e assim buscar melhorar a situação do seu casamento.
Agora um detalhe importante. Este post é baseado num caso de aconselhamento pastoral que fiz. Os nomes foram mudados, mas o caso é real. Fui estimulado a usar esse método, pois observei que certos homens de Deus têm usado esse tipo de expediente em livros e em artigos na Internet e percebi como isto é interessante e como ajuda a orientação de certos casos que acontecem na Igreja.
Noto no trabalho pastoral que muitos casais enfrentam problemas semelhantes ao que o casal Peregrino enfrenta. Sendo assim, espero que essa ficção baseada em fatos ajude os casais que passam por crises parecidas a encontrarem orientação da Palavra de Deus e, pela graça do Senhor, aprendam a melhorar a situação dos seus casamentos no Senhor e continuarem juntos na sua vocação cristã e de peregrinos nessa terra.
Segue o e-mail de Cristiana das Dores e meu aconselhamento:

Oi Pastor Adriano, boa noite!

Escrevo-lhe para pedir mais uma vez uma palavra amiga, um conselho ou até mesmo passagens da Bíblia, as quais possam me ajudar...
Novamente meu casamento está em crise e eu não sei mais o que fazer, as vezes penso até que minhas petições não estão sendo boas aos olhos de Deus, pois estou numa fase ruim de provações que as vezes penso que não vou suportar. É o seguinte Pastor: meu esposo, Eusébio, vive quase o tempo todo querendo que eu tenha disposição para namorar, só que eu não tenho infelizmente essa disposição todas as vezes que ele deseja, então gera-se brigas e mais brigas. Já expliquei ao mesmo que como eu trabalho fora de casa e em casa, isso prejudica um pouco nosso casamento! Pois chego em casa direto pra organizar jantar, almoço pro dia seguinte, cuidar de nossa filha, cuidar um pouco da casa e finalmente tomar um banho e descansar de mais um dia de trabalho!! O senhor concorda?
O que mais me entristece e me deixa amargurada é que ele não procura entender minha situação mediante tantos esforços que faço para o bem estar da nossa família, porque, só pedi muito esse trabalho á Deus para ajudar na Igreja com meu dízimo e para ajudar a ele mesmo, e sei muito bem que é obrigação do marido suprir a necessidade da família, entendo que na Bíblia em canto nenhum ensina a mulher a trabalhar e sim o homem! Mas com a finalidade de ajudar a Igreja e ao esposo, pedi tanto a Deus um trabalho que acredito fielmente que Ele me concedeu, mas meu trabalho acarretou para mim grandes conflitos, porque o marido que Deus me deu como cabeça, não sabe evitar situações desagradáveis que tiram a harmonia do lar, me deixando totalmente infeliz, porque quando tento explicar que estou um pouco cansada, ai sim começam as desavenças e sem falar que ele também não sabe conversar de forma que entremos num acordo e contornemos a situação, porque infelizmente meu esposo é uma pessoa extremamente estressada, que não aprendeu ainda a ser manso e humilde como o próprio Deus ensinou, é claro que, ele agindo dessa forma eu não consigo manter também a calma e a temperança que tanto peço a Deus, porque meu esposo infelizmente é o fogo e o estopim junto. Parece que os sermões não descem ao seu coração!
Enfim Pastor Adriano estou precisando de ajuda, e queria muito que ele se tornasse um homem mais manso, mais pacificador e que ele enxergasse que temos uma filha que observa tudo isso, e que não é bom pra ela viver em um ambiente conturbado, parece até que não somos cristãos.
As vezes chego a pensar que não sou cristã, que Deus não me escolheu e que estou perdida! Vou lhe confessar que oro muito pouco e que tenho muito pouco tempo pra ler a Bíblia, que sinto desejo de estar em casa pra ter tempo pra minha família e pra Deus, mas se eu não trabalhar, eu não tenho as coisas que preciso, porque vou lhe confessar também que ele não me dá totalmente o que eu preciso. Eusébio só supre as necessidades de alimento e o resto sou eu. Quando peço algo sempre ele diz que não pode ou não tem, então, prefiro trabalhar pra não incomodar pedindo nada.
Com todos esses problemas não perco a fé em Deus autor a consumador da minha vida. Fico muito triste quando sei que pequei contra Deus, porque quando ocorre essas perturbações termino pecando sentindo raiva dele, por ele ser um marido incompreensível, insensível e ignorante. E não acho forças pra contornar a situação porque ele fica de mal de mim e com grande ira, então, prefiro ficar neutra.
Peço-lhe encarecidamente que o senhor possa me ajudar em oração, em conselhos e em passagens bíblicas que eu possa aplicá-las em minha vida, porque cada dia que passa, acho que meu casamento esta ficando insuportável, por causa da intolerância do meu querido esposo. Quando o senhor puder me responder, por favor me ajude!! Desculpe-me se fui inconveniente em algo que escrevi. Que Deus continue abençoando sua família e o senhor.
Abraços na irmã Osiene e nos meninos.

Fraternalmente em Cristo,


Cristiana das Dores


Agora segue meu e-mail resposta:

Cara Cristiana das Dores,

Saudações no Senhor,

Devido aos trabalhos pastorais só pude ler seu e-mail agora.
Você escreve coisas que de fato mostram problemas sérios no seu relacionamento com Eusébio.
O ideal é vocês terem uma visitação pastoral para que estes pontos sejam tratados com vocês dois (Pv 18.17). Nessa visitação você mostrará os pontos que lhe incomodam e Eusébio também mostrará os dele.
Saiba que (para felicidade do casal) cada um deve trabalhar a sua responsabilidade na solução dos problemas e, especialmente, nos pecados que contribuem para a crise conjugal.
Porém, surge um problema aqui. Estou de viagem para Manaus (03 a 09 de novembro). Isto pode protelar o tratamento da crise.
Contudo, vou tentar aliviar você com a Palavra de Deus. Entenda que os textos e as palavras se direcionam para a sua responsabilidade para resolver a crise (conforme a Palavra). Se eu estivesse escrevendo a Eusébio, então, daria textos que mostrariam o papel dele nessa crise. Você entende? Espero que sim.

Primeiro, quanto a questão do "namoro" de vocês, ou seja, a vida sexual. Cristiana, entenda que a Escritura dá instrução clara sobre as relações sexuais e a satisfação que você como esposa deve proporcionar a Eusébio (veja 1 Co 7.1-6). O Espírito Santo fala nesta passagem várias verdades sobre a bênção do sexo no casamento:

a. O dom do sexo é um direito do seu cônjuge. O seu corpo é de Eusébio como o dele é seu. E, por isso, marido ou esposa não deve privar o seu cônjuge da bênção sexual, somente em caso de mútuo consentimento e por pouquíssimo tempo.
b. O casal que não cumpre esse mandamento do Senhor coloca o casamento em risco de morte, pois expõe o seu cônjuge às tentações de Satanás (v. 5). Quando um cônjuge não tem uma vida sexual satisfatória, facilmente, ele pode cair em impureza sexual. Veja que o contexto da passagem recebemos instruções para fugirmos da impureza sexual (6.12-7.39).
c. Concluindo esse ponto: Você como mulher cristã deve se poupar para que haja disposição física para satisfazer Eusébio a fim de cumprir o mandamento do SENHOR e, consequentemente, dar satisfação a ele, satisfazer-se também e proteger a sua família.

A segunda coisa para tratar sobre seu e-mail é o seguinte: vida sexual satisfatória não é uma questão somente de disposição física, mas também sentimental (especialmente para as mulheres). Neste ponto falo sobre a amargura que você diz ter das atitudes pecaminosas de Eusébio.
Cristiana, amargura no coração pode diminuir o estímulo sexual no casamento. Mas, o maior motivo para tratar amargura não é isto. O maior motivo para se tratar amargura é que isto é pecado. Por isso, você deve buscar Eusébio e com a Palavra de Deus tratar suas amarguras com ele. Veja os textos de Ef 4.25,26,29-32.
Note que o contexto fala sobre como vivemos como novas criaturas em Cristo (Ef 4.17-24). Guardar mágoas é pecado. E pecado deve ser tratado e não guardado. Sendo assim, você deve buscar Eusébio para confessar que tem pecado contra ele, guardando em seu coração amargura (Mt 18.15-20).
Agora preste atenção num detalhe importante: Uma nova criatura busca falar a verdade sem malícia. Você deve dizer o que tem magoado você, mas com o cuidado de não praticar aquilo que chamamos de "desabafo" (Ef. 4.29). Veja que desabafar suas mágoas contra aqueles que lhe ofendem não é conforme a Escritura. Você entende?
Como uma mulher cristã, com amor e respeito, deixe Eusébio saber que você pecou contra ele (guardando amargura) e lhe dê a chance de perdoar e de pedir perdão por ter magoa a você.
Porém, aconselho você que, se Eusébio não lhe ouvir, então, chame o Irmão Barnabé (que é um homem fiel, conhecedor da Palavra e conhece bem vocês) para ajudar você e Eusébio a cumprirem o que a Escritura diz (Mt 18.15-20). Este é o modo de Deus para que possamos tratar problemas de relacionamentos, especialmente, com aqueles que Deus colocou ao nosso lado.

A terceira coisa que desejo falar a você é sobre seu trabalho. Essas palavras que vou dizer devem ser tomadas por você com muito cuidado e espírito de oração, pois é um assunto muito delicado, mas que deve ser tratado. Também, acrescento que este é um desafio para ser vencido pelo casal e não somente por você.
Você já entende que estes problemas (crise citada no e-mail) tem muito a ver com sua escolha de trabalhar fora.
Saiba que muitas mulheres cristãs (que têm filhos em fase de crescimento) tentam ajudar o marido a suprir as necessidades da casa escolhendo um emprego fora de casa. Isto, apesar de ser sincero, é um erro que traz mais prejuízo ao casal do que eles podem imaginar.
Vamos fazer um pequeno estudo aqui, por isso, siga a ler esse e-mail somente depois da leitura dos seguintes textos: Gn 2.18-24; Pv 31.10-31; Ef 5.22-24; Cl 3.18; 1 Pe 3.1-6; 2 Tm 2.8-15. Depois de lê-los tente entender à Luz da Palavra de Deus o seguinte:

a. A Escritura mostra que Deus criou você como uma auxiliadora idônea para Eusébio. Você é uma bênção para seu esposo e foi colocada na vida dele para ajudá-lo a cumprir seu papel como homem, pai e servo de Deus.
b. A Escritura mostra que você não é menos importante para Deus que Eusébio. Você é idônea, ou seja, da mesma natureza e à altura dele e não um ser de segunda categoria.
c. Você pode ver que Deus não proibe a mulher de trabalhar para ajudar o marido. A mulher virtuosa de Pv 31.10-31 mostra isto. Veja no texto o quanto a mulher virtuosa trabalhava. Porém, perceba que o trabalho dela não prejudicava em nada a sua missão de esposa, seu relacionamento com o marido, a honra dele e sua missão de mãe. Pelo contrário, uma das suas virtudes era ser trabalhadora.
d. Cristiana, a Escritura proibe a mulher de abandonar a sua missão de esposa e de mãe. Uma esposa cristã deve ser submissa a seu esposo como a Igreja é a Cristo. Lembre-se que submissão não é escravidão malígna, mas é se colocar amorosamente debaixo da liderança do seu esposo e com satisfação ajudá-lo a ser um servo de Deus fiel: o cabeça da casa, um bom marido e um pai exemplar. A missão de mãe é gerar filhos e educá-los no Senhor, formar Cristo neles através do seu testemunho de vida e doutrina.
e. Peço, por favor, que nesse momento você esqueça os pecados de Eusébio e as cobranças dele. Concentre-se na sua missão de mulher cristã e naquilo que seu trabalho tem gerado no seu relacionamento com Eusébio, no cuidado do lar e na criação de Talita. Pelo que li no e-mail parece que seu trabalho não está ajudando Eusébio a desempenhar bem a missão dele e a sua missão de mãe. Pare para pensar no seguinte:

I. Eusébio pode estar estrassado por não suprir aquilo que você quer, por não ter seu carinho e presença quando ele chega em casa, por ver você afastada de Talita, etc.. Você já parou para pensar e conversar com ele sobre isto?
II. Também, além disso, Talita agora precisa ser educada na Fé e como ser uma criança, uma jovem e um mulher cristã. A sua pequena filha (linda menina) precisa ver em você a mulher que Cristo quer que ela seja. Talita tem suas carências especiais e a idade dela (5 anos) já está bem avançada e você precisa aproveitar todo momento para inculcar na cabeça dela o que é ser uma filha de Deus. Acredito, digo com muito cuidado, que seu trabalho esteja privando você cumprir sua missão de mãe.
III. No seu e-mail você fala que pediu a Deus um emprego e que recebeu. Na verdade você orou e buscou e o empregou chegou. Mas, somente isto não significa que seu emprego é uma bênção de Deus. Digo a você (com muito cuidado) que seu emprego somente é uma bênção de Deus se ele vai ajudá-la a cumprir a vontade dEle para você (como esposa e mãe). Se este emprego não faz isto, então, ele não pode ser considerado como uma bênção de Deus, mas uma maldição.
IV. Entenda que nenhum emprego neste mundo, por mais promissor e lucrativo que seja, deve privar você de cumprir a missão de esposa e mãe. Essa missão é um privilégio que o Senhor deu a você. Cristiana, sua vida depende da sua fidelidade no cumprimento de sua missão de esposa e mãe, pois para isto Deus fez você!
V. Você colocou no e-mail questões de ordem financeira e até seu desejo de ajudar com as ofertas. Sei das dificuldades e desafios financeiros que obrigam muitas mulheres cristãs a pensarem em trabalhar fora. Mas, essas dificuldades não devem estar em primeiro lugar. Em primeiro lugar está sua missão de esposa e mãe. Veja que trabalhar fora não traz lucro real para sua vida espiritual e familiar: Crises em casa, Talita não é tão instruída com a Palavra e falta de tempo para você ler a Escritura e orar. Veja o que Pv 17.1 e Mt 6.33 dizem. Agora veja Fp 3.7. Então, responda: O que é o verdadeiro lucro para o cristão? Não é fazer a nossa vocação em Cristo? Qual lucro verdadeiro seu trabalho tem dado a você e a sua família?
VI. E quanto as ofertas? Deus quer em primeiro lugar obediência e não sacrifício (1 Sm 15.22; Pv 21.3; Os 6.6). Obediência em primeiro lugar. Isto significa que é melhor diminuir as ofertas na Igreja que diminuírem a obediência a Deus, diminuir a felicidade sua, de Eusébio e de Talita como filhos de Deus. Você entende? Então, nesse contexto não se preocupe com as ofertas.
VII. Cristiana, os casais devem meditar naquilo que a Palavra de Deus diz sobre a missão da mulher e não se conformarem com este século (Rm 12.1,2). Este “século” é o mundo inimigo de Deus e que não reconhece Deus como Senhor de nossas vidas.
Este século tem pregado que em primeiro lugar está nossa subsistência nessa terra. Isto faz os homens e mulheres trabalharem sem se importarem com a missão que Deus entregou a cada um deles.
O espírito desse “século” tem influenciado tanto a vida do homem que os casais cristãos não têm percebido o problema das mulheres cristãs (que tem crianças) trabalharem fora de casa;
Minha irmã, o espírito deste século diz a você e a todas as mulheres: trabalhe fora para sustentar sua casa e ser feliz, mesmo que isto leve você a não cumprir sua missão de esposa e mãe.
O espírito desse século diz que uma mulher frustrada é aquela que é dona de casa, que vive na dependência do seu esposo e para seus filhos. Mas isto é uma mentira de satanás.
Mas, o Espírito de Deus diz na Escritura e mostra na vida o contrário daquilo que o espírito desse século diz. Saiba que a prosperidade e felicidade não está em cumprir a missão de esposa e mãe. Saiba que frustradas são mulheres que não entendem ou não querem aceitar a missão que Deus entregou a elas. Uma mulher cristã que entende e aceita que o Senhor Deus a fez para auxiliar seu marido, ter filhos e criá-los vai (debaixo da graça de Deus) enfrentar o mundo e as dificuldades da sua missão com confiança, satisfação, alegria e disposição. Assim, apesar delas se entristecerem muitas vezes no cumprimento da missão, não serão frustradas.

Conclusão:

Cristiana, não estou colocando você como a grande vilã da crise na sua sua família. Acho que quando uma esposa passa a trabalhar fora de casa tem mais a ver mais com a falha da missão do marido do que da mulher.
Coloco estas palavras para ajudar você a pensar e solucionar a crise no seu relacionamento familiar. Oro que elas estimulem você a ver a questão da crise em casa de modo mais profundo e para você buscar cumprir suas responsabilidades cristãs e assim viver em alegria como auxiliadora de Eusébio e mãe de Talita.
Vou entrar em contato com um oficial da igreja para chegar em sua casa. Somente, peço, por favor, que tente primeiro buscar a ajuda de Barnabé (se você vê isto como algo possível). Lembro a você que o Espírito Santo também usa pessoas não ordenadas (1 Ts 5.14-22).
Aconselho você a adquirir o livro “Uma Esposa Excelente” de autoria de Martha Peace. Esse livro é publicado pela Editora Fiel. Também aconselho a você a dar de presente a Eusébio um pequeno, mas poderoso livro “Homens Fortes” de autoria de John Crotts também da Editora Fiel. Esses livros ajudarão vocês bastante.
Estarei orando por vocês com mais atenção. Espero poder voltar para visitá-los.

Em Cristo,

Pr. Adriano