quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

É Natal: Nasceu Jesus, o Filho de Davi

Sermão preparado pelo Rev. Adriano Gama para ser pregado no Domingo antes do Natal

Texto: Lc 2.1-7
Leitura: Mq 5.2-4; Lc. 1.26-38

Amada Congregação do Senhor e demais ouvintes da Palavra de Deus,

Estamos na época do Natal.
Natal que é tão esperado pelo mundo inteiro.
Porém, ao olharmos ou ouvir as propagandas e ao andar na cidade não conseguimos identificar o que é o Natal.
Olhe as propagandas e ouça as músicas dessa época.
Elas lembram o que é o verdadeiro Natal?
O Natal foi transformado em um conto de fadas, em um momento supersticioso, em um momento de comunhão somente entre homens com homens!
Hoje a pessoa mais falada no Natal é um personagem imaginário chamado Papai Noel, que voa num trenó puxado por renas e sai pelo mundo destribuindo presentes às criancinhas!
Hoje se fala do “espírito do Natal”, “a mágia do Natal”, da árvore de Natal, da ceia de Natal, do peru do Natal!
Será que o Natal que vemos e ouvimos na mídia dessa época revela Jesus Cristo? Será que o Natal que vemos mostra o que foi o Nascimento de Jesus e a sua importância da relação do homem com Deus?
Não, não revela nada daquilo que foi o Natal! Não revela nada de Jesus Cristo nem a verdade e a importância do nascimento de Jesus!
Por isso, a Igreja do Senhor Jesus Cristo deve ser lembrada sobre o que o Natal é e a sua importância para a humanidade. Sendo assim, proclamo a você a mensagem de Deus no seguinte tema:

É Natal: Nasceu Jesus, o Filho de Davi

Este foi um fato histórico
Este foi um fato profetizado
Este foi um fato salvífico

É Natal: Nasceu Jesus, o Filho de Davi: Este foi um fato histórico

O Evangelista Lucas além de médico era também um historiador. Ele escreveu dois livros do Cânon do Novo Testamento (O Evangelho de Lucas e o Livro de Atos dos Apóstolos). E ambos os livros foram escritos para um discípulo chamado Teófilo, que era um homem da alta sociedade (Lc 1.3; At 1.1,2).
E Lucas, movido pelo Espírito Santo, mostra que muitos no seu tempo já haviam feito “uma narração coordenada dos fatos” que aconteceram na vida e ministério de Jesus.
Os autores desses escritos foram testemunhas e pregadores do evangelho, que tinham feito anotações daquilo que tinham visto e ouvido acerca de Jesus, do nascimento até a ascensão.
E os pregadores daquela época usavam seus escritos nas suas pregações. Eles transmitiam ao povo o que haviam escrito. Eles catequiavam com base nesses escritos.
E Lucas, movido pelo Espírito Santo, resolveu começar sua própria pesquisa sobre os acontecimentos da vida de Jesus Cristo. Ele fez uma “acurada investigação” do que aconteceu. Foi um trabalho de pesquisa bem feito e o resultado do seu trabalho ele colocou por escrito. E qual era o objetivo de Lucas com seu escrito?
O objetivo era de “dar plena certeza das verdades” da Fé Cristã na qual Teófilo havia sido instruído (ou catequisado. A palavra original dá origem a palavra Catecismo). E veja em casa Lc 1.1-4.
Assim, meu irmão em Cristo e demais ouvintes da Palavra de Deus, se queremos saber a verdade do Natal, então, devemos buscar o testemunho do Espírito Santo dado a Lucas. A obra inspirada de Lucas é um relato bem ordenado e fiel da história de Jesus.
Sendo assim, não é a toa que Lucas diz no Capítulo 2. vs. 1,2:

“Naqueles dias, foi publicado um decreto de César Augusto, convocando toda a população do império para recensear-se. Este, o primeiro recenseamento, foi feito quando Quirino era governador da Síria”.

Meu irmão em Cristo, Lucas citou o decreto da contagem do povo ordenado pelo Imperador César Augustus. Ele menciona que foi “o primeiro recenceamento” quando Quirino era governador na Síria.
As pessoas citadas de fato existiram. O recenseamento citado de fato aconteceu por volta do ano 6 antes da era Cristã. Lucas, pelo Espírito, mostra fatos históricos que sinalizam quando Jesus Cristo nasceu.
O Evangelista quer mostrar que o nascimento de Jesus foi um fato histórico tanto quanto a existência do imperador e seus súditos regentes, tanto quanto os grandes acontecimentos que ocorriam “Naqueles dias”.
A Igreja não precisa de comprovações históricas para crer no nascimento de Jesus. Porém, Deus, Espírito Santo, deixou para nós na Escritura informações que mostram que o Evangelho não é um de contos de fadas e que os acontecimentos nele citados podem ser confirmados.
Agora podemos ver no texto um ensino importante e que exalta o nosso Deus. Este texto nos lembra Provérbios. Em Provérbios 21.1 está escrito: “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR; este, segundo o seu querer, o inclina”.
O SENHOR Deus move o coração dos governadores do mundo. Ele é um Deus que tem poder sobre todos os monarcas da terra!
Mesmo o homem mais poderoso daquela época, César Augustus, não estava agindo independente de Deus. O SENHOR mostra na Escritura que o coração de César estava na Sua mão.
Veja, quando César pensou em recensear o povo para melhorar a arrecadação dos impostos ou saber a quantidade da população do seu Império, era o Espírito de Deus movendo o coração do Imperador para cumprir a vontade de Deus, cumprir a Sua Palavra, cumprir um fato que havia sido profetizado há séculos.
O SENHOR Deus havia prometido em Miqueias 5.2: “E tu, Belém Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”.
O recenseamento foi decretado por Deus para ser decretado por César Augustus, porque Deus quis levar José até a sua cidade natal, Belém de Judá, para cumprir a profecia de Miquéias.
E Lucas se preocupou em mostrar isto pois escreveu (veja o v. 3,4): “Todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. José também subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, para a Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém, por ser ele da casa e família de Davi”.
O recenseamento levou José a Bélem, pois Jesus Cristo devia nascer em Bélem. E o SENHOR Deus cuidou disso movendo César a fazer o recenseamento, pois de Belém sairia o PASTOR DE ISRAEL.
E esse pastor seria Filho de Davi. E Deus também cumpriu isto, pois Jesus Cristo foi dado a José e nasceu de Maria.
Lucas em Seu Evangelho já vinha enfatizando que José era um legítimo descendente de Davi (veja em casa os textos de Lc 1.27). E isso é lembrado na hora do nascimento de Jesus. O Texto mostra que José era “da casa e família de Davi”.
Mas, Lucas também se preocupou em mostrar que Maria, mãe de Jesus, era uma descendente de Davi. Ele pelo Espírito escreve que José subiu a Belém (veja o v.5): “a fim (com o objetivo) de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida”.
Maria também iria se alistar em Belém, então, esse é mais um texto da Escritura que confirma que Maria era uma descendente de Davi. Sendo assim, tanto José como Maria eram descendentes de Davi.
O SENHOR Deus havia firmado uma aliança com o Rei Davi em 2 Sm 7.12,13 que prometeu o seguinte:
“Quando os teus dias se cumprirem e descansares com teus pais, então, farei levantar depois de ti o teu descendente, que procederá de ti, e estabelecerei o seu reino. Este edificará uma casa ao meu nome, e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino”.
Essa Aliança foi lembrada no Sl 89.29 onde se canta sobre o Reinando Messiânico de Davi: “Farei durar para sempre a sua descendência, e o seu trono, como os dias do céu”. E toda a igreja esperava a chegada desse Rei, filho de Davi.
Meus amados irmãos, assim vemos que Lucas confirma o ensino que Jesus Cristo é de fato o Filho de Davi prometido, o Ungido (CRISTO), que havia sido prometido por Deus através dos profetas.
Meus amados irmãos, o SENHOR Deus é fiel em Suas promessas. Ele transtorna o mundo para cumprir a Sua Palavra! O mundo foi transtornado por Deus, pois o recenseamento transtornou o Império Romano todo: Famílias inteiras andando de um lado para o outro, para serem recenseadas, pois Deus queria levar José e Maria até Belém a fim de cumprir as Palavras de Salvação ao Seu povo!
Esse é o nosso Deus que para nos dar o Seu Filho moveu o coração do homem mais poderoso da terra e transtornou o maior império do mundo! Isto foi feito para o Natal acontecer, para Jesus Cristo, o Filho de Davi, nascer! Essa verdade está no Evangelho e o Natal mundano não fala disso! O Natal foi um fato profetizado!
Agora vamos para os vs. 5-7. Lucas dirige sua atenção à Maria e ao nascimento de Jesus.
O texto diz que José subiu a Belém com “Maria, sua esposa, que estava grávida”. A palavra “esposa” no texto original mostra que Maria ainda era desposada, ou seja, noiva de José. O casamento ainda não havia sido consumado. José e Maria ainda não tinham se relacionado sexualmente. Assim Maria ainda era virgem apesar de estar grávida.
Lucas quer manter a integridade da verdade de Deus acerca do nascimento virginal de Jesus Cristo. Isso não é algo pequeno, mas a virgem grávida era o sinal da chegada da Salvação de Israel.
A Escritura diz que a virgem Maria estava grávida e “estando eles ali (em Belém), aconteceu completarem-se os dias, e ela deu à luz o seu filho primogênito…”.
Meu irmão, séculos haviam se passado desde a primeira promessa de Deus sobre o nascimento do Messias. Mas, o Senhor Deus cumpriu precisamente a Sua Palavra. Não foi fora de Belém, mas “ali” em Belém. Não foi fora da hora, mas no tempo certo, pois “aconteceu completarem-se os dias”, os dias da gravidez de Maria!
Tudo Deus fez precisamente, por isso, não podemos pensar que Deus tarda em cumprir a Sua Palavra. Por exemplo: podemos achar que a volta de nosso Salvador esteja demorando muito. Ou ficamos anciosos por que ainda não temos recebido de Deus aquilo que temos orado há tanto tempo.
Mas, meu irmão em Cristo, Deus não tarda! … Porém, nós é que somos ansiosos para ver a Palavra de Deus se cumprir rapidamente.
Deus tem seus planos soberanos e perfeitos. Deus opera conforme o tempo determinado por Ele. Deus não age para atender a nossa ansiedade. Por isso, tenha paciência no SENHOR. Espere o momento certo de Deus fazer a Sua vontade em sua vida: Seja a volta do Senhor ou seja aquilo que você espera em oração.
A Palavra de Deus diz que no tempo e no lugar certo Maria deu à Luz “o seu filho o primogênito”. Este texto é um problema para aqueles que crêem que Maria ainda é virgem hoje, depois do nascimento de Jesus Cristo.
O Espírito Santo diz que Jesus Cristo foi “o primogênito”, o primeiro a ser gerado. O Espírito Santo em Mateus 13.55,56 diz: “Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas? Não vive entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isso?
Esse texto também é um problema para aqueles que não crêem na humanidade de Jesus Cristo. O texto diz que “ela (Maria) deu à luz o seu filho primogênito”. Isto não deixa dúvida da natureza humana de Jesus Cristo!
Jesus Cristo é Deus, pois Ele é Filho do Altíssimo, gerado pelo Espírito Santo! Mas, ele também é homem, pois é o primogênito de Maria, o bendito fruto do ventre da virgem!
Então, diante do testemunho do Espírito Santo podemor dizer que qualquer ensino que mostre que Maria é virgem ainda hoje é uma heresia, é um pensamento contra o ensino dos Apóstolos, contra a Verdade de Deus testemunhada na Escritura. E, também, podemos dizer que qualquer ensino que nega a humanidade de Jesus vinda de Maria é heresia!
Meu irmão em Cristo, veja o Evangelho nesse texto: A que ponto Deus chegou para mostrar o Seu amor por pecadores miseráveis! Ele moveu o coração dos reis, transtornou o mundo, fez Seu filho nascer e tomar a nossa natureza humana! E nascer como um miserável homem!
Sim, muito amor de Deus e de Cristo por nós é manifestado no Natal de Jesus!
Veja o texto (veja o v. 7): “e ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria”.
O Espírito Santo revela como foi humilde o nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Rei Filho de Davi, o Regente do Universo.
Meu irmão em Cristo, veja que Jesus nasceu não como um Rei, mas como uma humilde e miserável criança.
Jesus Cristo nasceu e foi enfaixado em faixas de pano, como uma criança humilde de Israel. Jesus ao nascer foi colocado numa manjedoura e não num berço de ouro. O menino Jesus não estava num belo quarto de um palácio, mas ele estava num estábulo, onde os animais dormiam, pois o texto fala “não havia lugar para eles na hospedaria”.
Meu irmão é uma cena estranha e miserável: Uma criança ao nascer ser colocada numa manjedoura, num cocho onde os animais comiam, era algo tão estranho que serviu como o sinal para os pastores de Belém (veja 2.12).
O menino Jesus já no Seu nascimento mostrou Sua humilhação e que ele seria rejeitado pelos seus e pelo mundo !
A hospedaria não tinha lugar para Ele. O mundo não recebeu o menino que nasceu. Jesus Cristo não encontrou lugar nas casas dos judeus. Jesus Cristo já no seu Natal mostrou a Sua missão de humilhação para a Salvação do Seu povo!
Será que o natal contado em nossos dias mostra essa verdade acerca do nascimento de Jesus, o Filho de Davi? Não, não mostra!
Note nas propagandas nos meios de comunicação, note nos cartões de natal, quase nada se mostra de Jesus Cristo.
O diabo e o mundo querem tirar de cena Aquele que é o motivo verdadeiro da comemoração do Natal! O diabo e o mundo querem esconder Aquele que nasceu! O mundo e o diabo querem desvirtuar o alvo do Natal!
Por isso, não vemos no natal mundano Jesus Cristo, o Filho de Davi, que nasceu para se humilhar a fim de nos exaltar. No natal dos homens não aparece Jesus Cristo que nasceu para morrer a fim de nos salvar da morte eterna! Jesus Cristo que veio ao mundo em humilhação para morrer, mas ressuscitou, subiu ao céu e de lá voltará em Glória!
O nascimento humilde testificado por Lucas é um contraste que revela o fato que Jesus Cristo, o Filho de Davi, o Rei Salvador, nasceu para se humilhar a fim de nos exaltar e salvar.
O Apóstolo Paulo em 2 Co 8.9: “pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos”.
Meu irmãos em Cristo, o testemunho de Lucas e as Palavras de Paulo mostram que o Natal humilde e misérável de Jesus Cristo, apontava para Sua vida de humilhação e rejeição pelos homens.
É Natal: Naceu Jesus Cristo, o Filho de Davi: Esse foi um fato salvífico, um fato para nossa salvação!

Conclusão:

A igreja deve usar esse momento para evangelizar, pois o nascimento de Jesus foi determinado por Deus, para que Jesus, o Rei Salvador, fosse proclamado até os confins da terra.
É um fato meu irmão, hoje o natal é comemorado até no oriente pagão. Sendo assim, a igreja não pode menosprezar o natal, nem desprezar esse momento para exaltar Jesus Cristo diante do mundo. A igreja deve mostrar que Jesus Cristo nasceu em Belém, para morrer no Calvário a fim de nos salva e reger as nações do mundo: Como Rei do Universo!
Miquéias profetizou que o pastor de Israel que sairia de Belém (Mq 5.4): “será engrandecido até aos confins da terra”!
Não é a toa que a Igreja de Cristo lembra o Natal há séculos. Não é a toa que as igrejas reformadas historicamente lembram e até se reúnem para lembrar o natal como um dos atos da salvação!
As igrejas de Cristo fazem isto não por causa de uma superstição, mas como algo benéfico para a edificação e a proclamação da boa-nova de grande alegria! As igrejas fazem isto para dar oportunidade ao mundo de ouvir o Evangelho que diz: “nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor!
Por isso, a Igreja no Recife deve aproveitar o momento de natal para se edificar no Evangelho e proclamar o Natal de Jesus Cristo, o Filho de Davi!
Meus irmãos em Cristo, assim estaremos unidos na prática cristã e reformada de séculos! Assim estaremos usando de um bom momento para honrarmos Aquele que nasceu humildemente para morrer a fim de nos exaltar e nos salvar.
A Igreja deve mostrar o que é o Natal: … mostrar que este evento foi um fato histórico, foi um fato profetizado, mas acima de tudo, foi um fato para a Salvação de pecadores perdidos.
A Jesus Cristo, o Filho de Davi, seja somente a glória não só na época do Natal, mas por todos os séculos. Amém.

Nenhum comentário: