terça-feira, 10 de novembro de 2009

O que eu faço para melhorar a situação do meu casamento?



Rev. Adriano Gama

Esse post compartilha com vocês palavras de aconselhamento pastoral para ajudar a Família Peregrino a superar uma crise no casamento.
Cristiana das Dores Peregrino é uma mulher cristã que é casada com Eusébio Peregrino. Eles vivem como marido e mulher há 7 anos e receberam do Senhor a pequena Talita. Eles amam ao Senhor e desejam viver para Deus conforme a Palavra. Mas, como qualquer casal, eles também têm problemas conjugais.
Cristiana buscou orientação pastoral a fim de resolver, conforme a Palavra de Deus, a crise no seu casamento. Eu ainda não ouvi Eusébio, mas orientei Cristiana a fazer sua parte como mulher cristã e assim buscar melhorar a situação do seu casamento.
Agora um detalhe importante. Este post é baseado num caso de aconselhamento pastoral que fiz. Os nomes foram mudados, mas o caso é real. Fui estimulado a usar esse método, pois observei que certos homens de Deus têm usado esse tipo de expediente em livros e em artigos na Internet e percebi como isto é interessante e como ajuda a orientação de certos casos que acontecem na Igreja.
Noto no trabalho pastoral que muitos casais enfrentam problemas semelhantes ao que o casal Peregrino enfrenta. Sendo assim, espero que essa ficção baseada em fatos ajude os casais que passam por crises parecidas a encontrarem orientação da Palavra de Deus e, pela graça do Senhor, aprendam a melhorar a situação dos seus casamentos no Senhor e continuarem juntos na sua vocação cristã e de peregrinos nessa terra.
Segue o e-mail de Cristiana das Dores e meu aconselhamento:

Oi Pastor Adriano, boa noite!

Escrevo-lhe para pedir mais uma vez uma palavra amiga, um conselho ou até mesmo passagens da Bíblia, as quais possam me ajudar...
Novamente meu casamento está em crise e eu não sei mais o que fazer, as vezes penso até que minhas petições não estão sendo boas aos olhos de Deus, pois estou numa fase ruim de provações que as vezes penso que não vou suportar. É o seguinte Pastor: meu esposo, Eusébio, vive quase o tempo todo querendo que eu tenha disposição para namorar, só que eu não tenho infelizmente essa disposição todas as vezes que ele deseja, então gera-se brigas e mais brigas. Já expliquei ao mesmo que como eu trabalho fora de casa e em casa, isso prejudica um pouco nosso casamento! Pois chego em casa direto pra organizar jantar, almoço pro dia seguinte, cuidar de nossa filha, cuidar um pouco da casa e finalmente tomar um banho e descansar de mais um dia de trabalho!! O senhor concorda?
O que mais me entristece e me deixa amargurada é que ele não procura entender minha situação mediante tantos esforços que faço para o bem estar da nossa família, porque, só pedi muito esse trabalho á Deus para ajudar na Igreja com meu dízimo e para ajudar a ele mesmo, e sei muito bem que é obrigação do marido suprir a necessidade da família, entendo que na Bíblia em canto nenhum ensina a mulher a trabalhar e sim o homem! Mas com a finalidade de ajudar a Igreja e ao esposo, pedi tanto a Deus um trabalho que acredito fielmente que Ele me concedeu, mas meu trabalho acarretou para mim grandes conflitos, porque o marido que Deus me deu como cabeça, não sabe evitar situações desagradáveis que tiram a harmonia do lar, me deixando totalmente infeliz, porque quando tento explicar que estou um pouco cansada, ai sim começam as desavenças e sem falar que ele também não sabe conversar de forma que entremos num acordo e contornemos a situação, porque infelizmente meu esposo é uma pessoa extremamente estressada, que não aprendeu ainda a ser manso e humilde como o próprio Deus ensinou, é claro que, ele agindo dessa forma eu não consigo manter também a calma e a temperança que tanto peço a Deus, porque meu esposo infelizmente é o fogo e o estopim junto. Parece que os sermões não descem ao seu coração!
Enfim Pastor Adriano estou precisando de ajuda, e queria muito que ele se tornasse um homem mais manso, mais pacificador e que ele enxergasse que temos uma filha que observa tudo isso, e que não é bom pra ela viver em um ambiente conturbado, parece até que não somos cristãos.
As vezes chego a pensar que não sou cristã, que Deus não me escolheu e que estou perdida! Vou lhe confessar que oro muito pouco e que tenho muito pouco tempo pra ler a Bíblia, que sinto desejo de estar em casa pra ter tempo pra minha família e pra Deus, mas se eu não trabalhar, eu não tenho as coisas que preciso, porque vou lhe confessar também que ele não me dá totalmente o que eu preciso. Eusébio só supre as necessidades de alimento e o resto sou eu. Quando peço algo sempre ele diz que não pode ou não tem, então, prefiro trabalhar pra não incomodar pedindo nada.
Com todos esses problemas não perco a fé em Deus autor a consumador da minha vida. Fico muito triste quando sei que pequei contra Deus, porque quando ocorre essas perturbações termino pecando sentindo raiva dele, por ele ser um marido incompreensível, insensível e ignorante. E não acho forças pra contornar a situação porque ele fica de mal de mim e com grande ira, então, prefiro ficar neutra.
Peço-lhe encarecidamente que o senhor possa me ajudar em oração, em conselhos e em passagens bíblicas que eu possa aplicá-las em minha vida, porque cada dia que passa, acho que meu casamento esta ficando insuportável, por causa da intolerância do meu querido esposo. Quando o senhor puder me responder, por favor me ajude!! Desculpe-me se fui inconveniente em algo que escrevi. Que Deus continue abençoando sua família e o senhor.
Abraços na irmã Osiene e nos meninos.

Fraternalmente em Cristo,


Cristiana das Dores


Agora segue meu e-mail resposta:

Cara Cristiana das Dores,

Saudações no Senhor,

Devido aos trabalhos pastorais só pude ler seu e-mail agora.
Você escreve coisas que de fato mostram problemas sérios no seu relacionamento com Eusébio.
O ideal é vocês terem uma visitação pastoral para que estes pontos sejam tratados com vocês dois (Pv 18.17). Nessa visitação você mostrará os pontos que lhe incomodam e Eusébio também mostrará os dele.
Saiba que (para felicidade do casal) cada um deve trabalhar a sua responsabilidade na solução dos problemas e, especialmente, nos pecados que contribuem para a crise conjugal.
Porém, surge um problema aqui. Estou de viagem para Manaus (03 a 09 de novembro). Isto pode protelar o tratamento da crise.
Contudo, vou tentar aliviar você com a Palavra de Deus. Entenda que os textos e as palavras se direcionam para a sua responsabilidade para resolver a crise (conforme a Palavra). Se eu estivesse escrevendo a Eusébio, então, daria textos que mostrariam o papel dele nessa crise. Você entende? Espero que sim.

Primeiro, quanto a questão do "namoro" de vocês, ou seja, a vida sexual. Cristiana, entenda que a Escritura dá instrução clara sobre as relações sexuais e a satisfação que você como esposa deve proporcionar a Eusébio (veja 1 Co 7.1-6). O Espírito Santo fala nesta passagem várias verdades sobre a bênção do sexo no casamento:

a. O dom do sexo é um direito do seu cônjuge. O seu corpo é de Eusébio como o dele é seu. E, por isso, marido ou esposa não deve privar o seu cônjuge da bênção sexual, somente em caso de mútuo consentimento e por pouquíssimo tempo.
b. O casal que não cumpre esse mandamento do Senhor coloca o casamento em risco de morte, pois expõe o seu cônjuge às tentações de Satanás (v. 5). Quando um cônjuge não tem uma vida sexual satisfatória, facilmente, ele pode cair em impureza sexual. Veja que o contexto da passagem recebemos instruções para fugirmos da impureza sexual (6.12-7.39).
c. Concluindo esse ponto: Você como mulher cristã deve se poupar para que haja disposição física para satisfazer Eusébio a fim de cumprir o mandamento do SENHOR e, consequentemente, dar satisfação a ele, satisfazer-se também e proteger a sua família.

A segunda coisa para tratar sobre seu e-mail é o seguinte: vida sexual satisfatória não é uma questão somente de disposição física, mas também sentimental (especialmente para as mulheres). Neste ponto falo sobre a amargura que você diz ter das atitudes pecaminosas de Eusébio.
Cristiana, amargura no coração pode diminuir o estímulo sexual no casamento. Mas, o maior motivo para tratar amargura não é isto. O maior motivo para se tratar amargura é que isto é pecado. Por isso, você deve buscar Eusébio e com a Palavra de Deus tratar suas amarguras com ele. Veja os textos de Ef 4.25,26,29-32.
Note que o contexto fala sobre como vivemos como novas criaturas em Cristo (Ef 4.17-24). Guardar mágoas é pecado. E pecado deve ser tratado e não guardado. Sendo assim, você deve buscar Eusébio para confessar que tem pecado contra ele, guardando em seu coração amargura (Mt 18.15-20).
Agora preste atenção num detalhe importante: Uma nova criatura busca falar a verdade sem malícia. Você deve dizer o que tem magoado você, mas com o cuidado de não praticar aquilo que chamamos de "desabafo" (Ef. 4.29). Veja que desabafar suas mágoas contra aqueles que lhe ofendem não é conforme a Escritura. Você entende?
Como uma mulher cristã, com amor e respeito, deixe Eusébio saber que você pecou contra ele (guardando amargura) e lhe dê a chance de perdoar e de pedir perdão por ter magoa a você.
Porém, aconselho você que, se Eusébio não lhe ouvir, então, chame o Irmão Barnabé (que é um homem fiel, conhecedor da Palavra e conhece bem vocês) para ajudar você e Eusébio a cumprirem o que a Escritura diz (Mt 18.15-20). Este é o modo de Deus para que possamos tratar problemas de relacionamentos, especialmente, com aqueles que Deus colocou ao nosso lado.

A terceira coisa que desejo falar a você é sobre seu trabalho. Essas palavras que vou dizer devem ser tomadas por você com muito cuidado e espírito de oração, pois é um assunto muito delicado, mas que deve ser tratado. Também, acrescento que este é um desafio para ser vencido pelo casal e não somente por você.
Você já entende que estes problemas (crise citada no e-mail) tem muito a ver com sua escolha de trabalhar fora.
Saiba que muitas mulheres cristãs (que têm filhos em fase de crescimento) tentam ajudar o marido a suprir as necessidades da casa escolhendo um emprego fora de casa. Isto, apesar de ser sincero, é um erro que traz mais prejuízo ao casal do que eles podem imaginar.
Vamos fazer um pequeno estudo aqui, por isso, siga a ler esse e-mail somente depois da leitura dos seguintes textos: Gn 2.18-24; Pv 31.10-31; Ef 5.22-24; Cl 3.18; 1 Pe 3.1-6; 2 Tm 2.8-15. Depois de lê-los tente entender à Luz da Palavra de Deus o seguinte:

a. A Escritura mostra que Deus criou você como uma auxiliadora idônea para Eusébio. Você é uma bênção para seu esposo e foi colocada na vida dele para ajudá-lo a cumprir seu papel como homem, pai e servo de Deus.
b. A Escritura mostra que você não é menos importante para Deus que Eusébio. Você é idônea, ou seja, da mesma natureza e à altura dele e não um ser de segunda categoria.
c. Você pode ver que Deus não proibe a mulher de trabalhar para ajudar o marido. A mulher virtuosa de Pv 31.10-31 mostra isto. Veja no texto o quanto a mulher virtuosa trabalhava. Porém, perceba que o trabalho dela não prejudicava em nada a sua missão de esposa, seu relacionamento com o marido, a honra dele e sua missão de mãe. Pelo contrário, uma das suas virtudes era ser trabalhadora.
d. Cristiana, a Escritura proibe a mulher de abandonar a sua missão de esposa e de mãe. Uma esposa cristã deve ser submissa a seu esposo como a Igreja é a Cristo. Lembre-se que submissão não é escravidão malígna, mas é se colocar amorosamente debaixo da liderança do seu esposo e com satisfação ajudá-lo a ser um servo de Deus fiel: o cabeça da casa, um bom marido e um pai exemplar. A missão de mãe é gerar filhos e educá-los no Senhor, formar Cristo neles através do seu testemunho de vida e doutrina.
e. Peço, por favor, que nesse momento você esqueça os pecados de Eusébio e as cobranças dele. Concentre-se na sua missão de mulher cristã e naquilo que seu trabalho tem gerado no seu relacionamento com Eusébio, no cuidado do lar e na criação de Talita. Pelo que li no e-mail parece que seu trabalho não está ajudando Eusébio a desempenhar bem a missão dele e a sua missão de mãe. Pare para pensar no seguinte:

I. Eusébio pode estar estrassado por não suprir aquilo que você quer, por não ter seu carinho e presença quando ele chega em casa, por ver você afastada de Talita, etc.. Você já parou para pensar e conversar com ele sobre isto?
II. Também, além disso, Talita agora precisa ser educada na Fé e como ser uma criança, uma jovem e um mulher cristã. A sua pequena filha (linda menina) precisa ver em você a mulher que Cristo quer que ela seja. Talita tem suas carências especiais e a idade dela (5 anos) já está bem avançada e você precisa aproveitar todo momento para inculcar na cabeça dela o que é ser uma filha de Deus. Acredito, digo com muito cuidado, que seu trabalho esteja privando você cumprir sua missão de mãe.
III. No seu e-mail você fala que pediu a Deus um emprego e que recebeu. Na verdade você orou e buscou e o empregou chegou. Mas, somente isto não significa que seu emprego é uma bênção de Deus. Digo a você (com muito cuidado) que seu emprego somente é uma bênção de Deus se ele vai ajudá-la a cumprir a vontade dEle para você (como esposa e mãe). Se este emprego não faz isto, então, ele não pode ser considerado como uma bênção de Deus, mas uma maldição.
IV. Entenda que nenhum emprego neste mundo, por mais promissor e lucrativo que seja, deve privar você de cumprir a missão de esposa e mãe. Essa missão é um privilégio que o Senhor deu a você. Cristiana, sua vida depende da sua fidelidade no cumprimento de sua missão de esposa e mãe, pois para isto Deus fez você!
V. Você colocou no e-mail questões de ordem financeira e até seu desejo de ajudar com as ofertas. Sei das dificuldades e desafios financeiros que obrigam muitas mulheres cristãs a pensarem em trabalhar fora. Mas, essas dificuldades não devem estar em primeiro lugar. Em primeiro lugar está sua missão de esposa e mãe. Veja que trabalhar fora não traz lucro real para sua vida espiritual e familiar: Crises em casa, Talita não é tão instruída com a Palavra e falta de tempo para você ler a Escritura e orar. Veja o que Pv 17.1 e Mt 6.33 dizem. Agora veja Fp 3.7. Então, responda: O que é o verdadeiro lucro para o cristão? Não é fazer a nossa vocação em Cristo? Qual lucro verdadeiro seu trabalho tem dado a você e a sua família?
VI. E quanto as ofertas? Deus quer em primeiro lugar obediência e não sacrifício (1 Sm 15.22; Pv 21.3; Os 6.6). Obediência em primeiro lugar. Isto significa que é melhor diminuir as ofertas na Igreja que diminuírem a obediência a Deus, diminuir a felicidade sua, de Eusébio e de Talita como filhos de Deus. Você entende? Então, nesse contexto não se preocupe com as ofertas.
VII. Cristiana, os casais devem meditar naquilo que a Palavra de Deus diz sobre a missão da mulher e não se conformarem com este século (Rm 12.1,2). Este “século” é o mundo inimigo de Deus e que não reconhece Deus como Senhor de nossas vidas.
Este século tem pregado que em primeiro lugar está nossa subsistência nessa terra. Isto faz os homens e mulheres trabalharem sem se importarem com a missão que Deus entregou a cada um deles.
O espírito desse “século” tem influenciado tanto a vida do homem que os casais cristãos não têm percebido o problema das mulheres cristãs (que tem crianças) trabalharem fora de casa;
Minha irmã, o espírito deste século diz a você e a todas as mulheres: trabalhe fora para sustentar sua casa e ser feliz, mesmo que isto leve você a não cumprir sua missão de esposa e mãe.
O espírito desse século diz que uma mulher frustrada é aquela que é dona de casa, que vive na dependência do seu esposo e para seus filhos. Mas isto é uma mentira de satanás.
Mas, o Espírito de Deus diz na Escritura e mostra na vida o contrário daquilo que o espírito desse século diz. Saiba que a prosperidade e felicidade não está em cumprir a missão de esposa e mãe. Saiba que frustradas são mulheres que não entendem ou não querem aceitar a missão que Deus entregou a elas. Uma mulher cristã que entende e aceita que o Senhor Deus a fez para auxiliar seu marido, ter filhos e criá-los vai (debaixo da graça de Deus) enfrentar o mundo e as dificuldades da sua missão com confiança, satisfação, alegria e disposição. Assim, apesar delas se entristecerem muitas vezes no cumprimento da missão, não serão frustradas.

Conclusão:

Cristiana, não estou colocando você como a grande vilã da crise na sua sua família. Acho que quando uma esposa passa a trabalhar fora de casa tem mais a ver mais com a falha da missão do marido do que da mulher.
Coloco estas palavras para ajudar você a pensar e solucionar a crise no seu relacionamento familiar. Oro que elas estimulem você a ver a questão da crise em casa de modo mais profundo e para você buscar cumprir suas responsabilidades cristãs e assim viver em alegria como auxiliadora de Eusébio e mãe de Talita.
Vou entrar em contato com um oficial da igreja para chegar em sua casa. Somente, peço, por favor, que tente primeiro buscar a ajuda de Barnabé (se você vê isto como algo possível). Lembro a você que o Espírito Santo também usa pessoas não ordenadas (1 Ts 5.14-22).
Aconselho você a adquirir o livro “Uma Esposa Excelente” de autoria de Martha Peace. Esse livro é publicado pela Editora Fiel. Também aconselho a você a dar de presente a Eusébio um pequeno, mas poderoso livro “Homens Fortes” de autoria de John Crotts também da Editora Fiel. Esses livros ajudarão vocês bastante.
Estarei orando por vocês com mais atenção. Espero poder voltar para visitá-los.

Em Cristo,

Pr. Adriano

Nenhum comentário: