domingo, 11 de outubro de 2009

Sermão preparado pelo Rev. Adriano Gama sobre Jonas 4.1-5

Texto: Jonas 4.1-5
Leitura: Jonas 3.5-4.5

Amada Congregação do Senhor Jesus Cristo,

Jesus Cristo ensinou várias parábolas durante seu ministério terreno. E ao ler essa passagem em Jonas lembro a vocês três parábolas de Jesus aos fariseus e escribas, que criticavam o Salvador por receber os publicanos e pecadores (Lc 15).
Jesus Cristo condenando a crítica deles ensinou três parábolas: da ovelha perdida, da drácma perdida e do Pai que Espera (ou do filho pródigo).
Em todas essas parábolas Jesus Cristo expressa o amor misericórdioso de Deus em buscar e receber pecadores arrependidos. Elas também expressam muito claramente a alegria que há (nos céus) quando pecadores perdidos são encontrados, se arrependem e voltam para Deus.
Jesus Cristo com estas parábolas condenou o zelo daqueles fariseus e escribas, que estavam cegos para perceber e aceitar o que era misericórdia de Deus e o desejo de Deus em salvar pecadores da perdição e morte eterna.
O sentimento dos fariseus e escribas era em muito semelhante ao sentimento de Jonas na passagem que lemos. Temos o velho Jonas ressuscitado no capítulo 4. O profeta no capitulo 4 deixou seu velho zelo se levantar ao ponto dele esquecer tudo que na prática havia aprendido sobre a misericórdia do SENHOR. O velho zelo tirou de Jonas até seu desejo de continuar vivo.
Meus amados irmãos, parece que o Profeta nunca tinha sentido a alegria de provar o gosto da misericórdia de Deus. Parece que o profeta não tinha provado a salvação da Ira de Deus. Parece que Jonas não tinha entendido que ao SENHOR pertence a Salvação e Ele deseja a Salvação de pecadores!
E nas atitudes de Jonas chamo você a ouvir a mensagem de Deus no seguinte tema:

O profeta se ira contra a obra misericordiosa de Deus:

Vejamos três pontos:

A motivação da sua ira
A justificativa da sua ira
A Esperança da sua ira

Vejamos o primeiro ponto:

1. O profeta se ira contra a obra misericordiosa de Deus: A motivação da sua ira

Meu amado irmão e demais ouvintes, vejam o v. 1. O texto mostra como Jonas reagiu. E Sabe quando há uma explosão de desgosto com algo que aconteceu e você não concorda e, então, você se mostra claramente irado, muito irado mesmo? É o que aconteceu com Jonas.
O Espírito Santo diz que Jonas se sentiu muito mal com o que viu e ficou muito irado, o profeta pegou fogo de tão irado (isto é o que há no texto)! O profeta “desgostou-se extremamente”.
Agora, qual a motivação de todo esse desgosto e ira do profeta?
Veja as palavras que iniciam o v. 1. O texto diz: “com isso, … ”. Meu irmão, o que deixou Jonas irado foi Deus ter se arrependido e deixar de fazer o mal que havia proclamado que faria aos ninivitas, ou seja, foi o fato de Deus ter sido misericórdioso com os ninivitas! Então, Jonas, “Com isso, desgostou-se … extremamente e ficou irado”.
E, meu irmão, veja as palavras de Jonas na oração (veja o v. 2). Jonas em sua oração confessa mais claramente a motivação dos seus pecados. O Pecado passado de tentar fugir. E o pecado presente no capítulo 4. Tanto o pecado anterior como o presente foram produzidos por Jonas não aceitar que Deus executasse a misericórdia para com os pecadores de Nívive.
Meus amados, isso nos mostra a nossa fragilidade e como facilmente, podemos cair nos nossos velhos pecados.
Não tem servo bom nessa área, pois veja Jonas! Ele volta a lembrar a Deus seu velho pecado de fugir e agora confessa que o pecado atual é produzido pelo mesmo sentimento pecaminoso do passado.
Jonas fala isto a Deus mesmo depois de ter provado de modo EXTRAORDINÁRIO e profundamente a misericórdia de Deus. Jonas diz isto ao SENHOR mesmo depois de ter louvado ao Deus que lhe salvou das profundezas da perdição! Mas… e agora?
Agora Jonas deixou se dominar pelo seu velho zelo nacionalista, reclamou com Deus e pediu até para morrer! Veja em Jonas que devemos sempre estar vigilantes para que nossos velhos pecados não nos derrubem mais.
E perceba outra coisa na passagem: note que o profeta zeloso conhece muito bem a natureza de Deus. Isto me leva a ressaltar algo para nossa vida:
Meu irmão e demais ouvintes, saiba que as pessoas que mais mostram um zelo sem amor são muitas vezes aquelas que têm mais conhecimento “teológico”. Veja os fariseus e escribas, veja Jonas.
Perceba que conhecimento teológico não é o mesmo que fidelidade, piedade, submissão, satisfação com a vontade de Deus para nossa vida.
Compare os gentios (marinheiros e os moradores de nínive) e Jonas (membro da Aliança). Compare os fariseus e escribas com as pessoas comuns do tempo de Jesus. Os de pouco conhecimento “teológico”, ou seja, com pouco conhecimento de Deus e da sua Palavra, logo caíram aos pés do SENHOR Deus, logo se dispuseram a fazer a vontade de Deus. Isso não se viu nem Jonas nem em Israel.
A Escritura nos mostra que nosso conhecimento de Deus só é conhecimento verdadeiro se nos leva a vivermos contentes, satisfeitos e alegres na vondade de Deus, especialmente, quando nossa vontade humana é contrariada.
A motivação do desgosto e ira de Jonas era uma clara manifestação de uma pessoa que conhecia muito acerca de Deus, mas que não queria se submeter a vontade de Deus. …
Meu irmão, tome muito cuidado para não confudir conhecimento e zelo com fidelidade a Deus. Você pode ser muito conhecedor da Escritura, das Confissões, das Doutrinas da Graça e de muito material reformado, mas é a sua submissão e satisfação com os mandamentos do SENHOR Deus que vão dizer se você é fiel ou não.
Veja Jonas. Ele conhecia a natureza de Deus. O profeta sabia que Deus é misericordioso e que tem poder para salvar qualquer pecador. E, ao invés, dele se alegrar com essa natureza de Deus o profeta se ira contra a obra de misericórdia de Deus.
Isto por que Jonas se deixou dominar por seus sentimentos zelosos. Jonas chegou ao extremo de pedir a morte (veja o v. 3). Jonas assim mostra que para ele não havia mais razão para viver, porque o SENHOR mostrou clemência, misericórdia, longanimidade, benignidade e salvação para os ninivitas.

2. O profeta se ira contra a obra misericordiosa de Deus: A justificativa da sua ira

Agora qual a justificativa da ira do profeta? Vejamos a pergunta do SENHOR Deus a ele (veja o v.4).
Meu irmão, Deus precisa perguntar alguma coisa a alguém para saber o que se passa no coração desse alguém? Claro que não! O SENHOR Deus vê o nosso coração e sabe nossos pensamentos antes mesmo deles surgirem em nossa mente. Ele é Deus onisciente!
Mas, por que Deus nos faz perguntas em sua palavra? O SENHOR Deus com suas perguntas tem objetivos. Ele nos pergunta como um professor pergunta ao seu aluno questões sobre assuntos que o mestre já sabe. A pergunta é para levar o aluno a ver e receber ensino.
O SENHOR Deus pergunta ao profeta para mostrar ao seu servo que NÃO EXISTE JUSTIFICATIVA para seu desgosto e ira! A pergunta de Deus já tem uma resposta CERTA: NÃO EXISTE JUSTIFICATIVA PARA IRA DE JONAS!
Meu irmão, existe justificativas para um servo ficar irado, porque o Seu SENHOR está fazendo a sua vontade? … Claro que não!
Meu irmão, SE entendemos que somos servos, então, como ficar irado por que o SENHOR quer fazer a Sua vontade?
Saiba que você é um servo e, por isso, nunca há justificativas para vivermos vidas desgostosas e iradas com Deus! E se você estiver sendo tentado a se irar contra a vontade de Deus e viver uma vida de desgosto e desejando a morte, então, entenda e aceite a soberania de Deus.
Meu irmão, se você entende a soberania de Deus, então, dificilmente você terá uma vida insatisfeita, como se estivesse sempre de mal humor com Deus e com todo mundo.
Meu irmão e demais ouvintes, sabia que uma vida irada e insatisfeita, muitas vezes se não todas, tem a ver com falta de compreensão e aceitação com a vontade soberana de Deus para nossas vidas. No caso de Jonas era falta de aceitação da soberania de Deus na salvação.
Mas, no meu caso ou no seu caso, pode ser não aceitação da providência de Deus em não me ter dado o emprego ou ofício que eu queria ter, a casa, a saúde, a condição financeira, o conjugê, ou por ter enviado a morte a um parente ou amigo, etc.
Meu irmão, a não aceitação da soberania de Deus pode gerar ira no coração contra os propósitos de Deus e assim manifestações de profundo desgosto que me leve a pensar que a minha vida não tem sentido e é melhor morrer que viver!
O problema de Jonas era que ele não queria ser servo, mas SENHOR de Deus. O profeta não aceitava a vontade soberana de Deus para os ninivitas. E isto gerou ira e desgosto de viver. E a pergunta de Deus mostra que Jonas não tem justificativa para sua ira.
Meu irmão, SE o SENHOR Deus frustrar o seu plano e suas idéias não fique irado com Deus, não perca a razão de sua vida, não peça para morrer por causa das suas frustações!
Aprenda isto e você viverá uma vida alegre e satisfeita, pois alegria e satisfação são frutos do entendimento da soberania de Deus, frutos do entendimento da misericórdia de Deus para nossas vidas. …
Aprenda e aceite que a razão de nossa vida é servir a vontade de Deus não a nossa vontade! … Aprenda e aceite que não há justificativa para nossas iras e insatisfações contra os desejos de Deus em frustrar os nossos planos.
E Aprenda e aceite que o SENHOR Deus nunca deixará de fazer a Sua vontade perfeita, por causa da nossa vontade imperfeita e, principalmente, por causa das nossas vontades pecaminosas! Isto evitará o que aconteceu com Jonas no v. 5. Vamos para o último ponto do sermão.

3. O profeta se ira contra a obra misericordiosa de Deus: A Esperança da sua ira

Veja o v. 5. Esse verso é uma introdução para os versos 6-11 que veremos no próximo sermão. O v. 5 mostra uma atitude de má educação da parte de Jonas, pois o profeta nem responde a pergunta de Deus.
Isto ele faz, primeiro, porque não tinha nada o que responder, pois não havia justificativa para sua ira. Segundo, porque o pecador em seu pecado é sempre desrespeitoso para com Deus: Não se importa em responder as boas perguntas que o SENHOR faz para lhe mostrar seu pecado, é truculento e fujão! E o SENHOR Deus deixa Jonas ir, para mais adiante (nos v. 6-11) mostrar mais claramente sua estupidez.
Porém, o Espírito Santo no v. 5 não mostra somente a má educação de Jonas, mas também mostra que o profeta tinha uma esperança dentro do seu coração irado.
Jonas se retirou da região da cidade, e fixou um lugar no oriente da cidade, fez um abrigo, para descansar na esperança de Deus revogar Sua misericórdia. Jonas tinha a esperança de ver de camarote a destruição dos ninivitas!
Meu irmão, Jonas estava como um menino pirracento: Eu quero ver se Deus vai continuar sendo misericordioso. Eles são ninivitas, ah, eles vão voltar a sua perversidade e maldade, então, aí eu quero ver se Deus vai deixá-los vivos!
Meu irmão e demais ouvintes, Jonas tem esperança em ver pecadores serem mortos! Como pode um negócio deste? Alguém torcer pela queda e morte daqueles que provaram da misericórdia de Deus? Veja a que ponto o zelo estúpido pode levar um servo de Deus!
Um servo de Deus que foi chamado para ser instrumento para a salvação dos pecadores deseja a morte daqueles a quem Deus quis dar a vida!
A atitude estupidamente zelosa de Jonas deve ser um alerta para a igreja. Você tome muito cuidado com seu zelo para com as coisas de Deus, pois se você não colocar seu zelo debaixo da vontade revelada na Escritura, então, você pode chegar ao mesmo absurdo de Jonas.
Você pode chegar ao ponto de ser um servo dos seus desejos e não um servo dos desejos de Deus. Você pode se esquecer da misericórdia de Deus e querer dominar Deus com suas idéias e desejos humanos.
Você pode pecaminosamente alimentar esperança naquilo que é contrario a vontade de Deus para o seu chamado! …
Mas, fique sabendo de uma coisa: Deus não está a sua disposição nem se dobra diante da malcriação de seus servos!
Saiba que tem pessoas dentro da igreja que alimentam esperança em coisas que claramente não agradam a Deus.
Meu amado irmão em Cristo, você pensa que Deus por causa de sua insatisfação com a vontade dEle vai atender seus desejos pecaminosos? Não, Deus não vai! … Por isso, não alimente esperança em algo que não agrada a Deus?
Meu amado irmão, por amor a você digo: Saiba que o SENHOR Deus é soberano e não fará nada que não seja somente a Vontade dEle! Pode tirar seu cavalinho da chuva, pode perder sua esperança naquilo que é contrário a vontade de Deus, pois Deus não vai atender você!
Veja que Deus não atendeu o desejo de Jonas! Jonas esperou até dormir e não viu o que queria ver! …
Saiba, meu irmão e demais ouvintes: … A vontade de Deus era ser misericordioso e salvar os ninivitas e não seria a ira injusta de Jonas, a malcriação e a esperança pecamisosa do profeta que faria Deus revogar Sua misericórdia!

Conclusão:

Agora para encerrar esse sermão vamos pensar na diferença entre Jonas e Cristo. Somos levados pela atitude de Jonas de volta a pensar em Jesus Cristo e na Sua obra em favor da Igreja.
Note que enquanto o profeta pediu a morte por que pecadores receberam a vida. Jesus pediu para morrer para que pecadores pudessem viver!
Enquanto Jonas ficou triste com o resultado de seu ministério em Ninive o Senhor Jesus se alegrou com o resultado do seu ministério entre nós: pecadores se arrependeram e foram salvos.
Jonas pediu a sua morte por que Deus mostrou misericóridia. Jesus pediu a morte para que o SENHOR fosse misericoridioso para com pecadores!
Jonas, por seu zelo, se colocou fora da cidade de Ninive na esperança de Deus destruir aquelas almas, mas Jesus Cristo, por seu zelo amoroso por Deus e pelos pecadores, se colocou fora da cidade de Jerusalém, no monte Calvário, numa cruz, para Deus salvar da destruição eterna homens de todas as nações da terra!
Meus amados irmãos, um ponto que ressalta aos nossos olhos do contraste entre Jonas e Jesus são as justificativas dos seus sentimentos: a ira de Jonas e o amor de Cristo:
A Ira de Jonas contra os pecadores de ninive não tinha justificativa. O amor de Jesus por pecadores miseráveis que mereciam justa punição não tem justificativa. Jesus Cristo amou pecadores das diversas nações somente por pura graça e misericórdia!
Meu amado irmão em Cristo, foi a graça e misericórdia de Deus que levou Jesus Cristo até a cruz, para livrar você da destruição eterna.
A esperança de Jonas era a destruição de pecadores, enquanto, a Esperança de Jesus era a salvação de homens perdidos. E esta esperança de Jesus Cristo se concretizou. Veja você e eu, pela misericórdia de Deus, estamos aqui cultuando e vivendo no SENHOR Jesus.
Assim, meus irmãos, vejam que os contrastes entre Jonas e Jesus Cristo mostram a misericórdia de Deus em nosso favor. Vejam que Jonas até na sua fraqueza aponta para Jesus Cristo.
E, meus amados irmãos, é para Jesus Cristo que devemos olhar, pois Ele é Aquele supremo e fiel profeta que, por Sua infinita misericórdia, se alegrou em morrer em lugar de pecadores como eu e você, para que a Ira do SENHOR não nos destruísse eternamente.
Por isso, Deus nos chama a ver que não há justificativas para não nos alegramos com a vontade de Deus. Não existe justificativas para não nos alegramos na obra de Deus em favor de pecadores. Não há justificativas para deixarmos de mostrar amor por esse Deus que, em Cristo, foi e é tão misericordioso para com pecadores como nós.
Por isso, devemos sempre nos alegrar e louvar ao SENHOR Deus de misericórdia e ao Seu Filho Jesus Cristo. … Amar e se alegrar pois esse Todo-Poderoso Deus, por meio do Senhor Jesus Cristo, é misericordioso para com pecadores. A Jesus Cristo, nosso Supremo Profeta, seja somente a glória por nossa Salvação! Amém.

Um comentário:

Danilo Fernandes disse...

Rev Adriano!

Feliz de encontrar irmãos da minha querida denominação na NET.

Muito legal o trabalho que vocês fazem aqui! Parabéns. Espero que divulguem bons artigos de grandes teólogos e pregadores reformados.

Sou presbiteriano de São Paulo, capital e formado em teologia pelo Reformed Theological Seminary, na Florida.

Estou passeando na net para conhecer blogs cristãos, saber o que o povo está buscando e falando... E para divulgar meu blog, o Genizah.

Vou seguir vocês e espero pela oportunidade daquela troca de irmão em Cristo aqui ou no meu blog, se você me der a honra e prazer da visita.

Genizah é um blog de apologética cristã com uma boa dose de humor. Nosso time é formado por escritores, pastores, humoristas e chargistas cristãos.

Apresentamos artigos mostrando a Beleza da teologia reformada, mas também damos bom combate a apostasia que tem tomado a igreja evangélica brasileira.

Espero que gostem. Paz e Bem!

Danilo

http://www.genizahvirtual.com/