sexta-feira, 19 de junho de 2009

O SENHOR DEUS começa a revelar Sua justiça e salvação aos gentios

Sermão preparado pelo Rev. Adriano Gama sobre Jonas 1.7-16

Leitura: Jonas 1.1-16
Texto: Jonas 1.7-16

Amada Congregação do Senhor Jesus,

O livro de Jonas é um livro cheio de ATITUDES. Atitudes de um profeta rebelde ao Seu chamado. Mas, ACIMA de todas atitudes estão AS ATITUDES do SENHOR Deus!
E nas atitudes de Deus é que a Igreja deve prender a sua atenção, pois Deus no Livro de Jonas mostra nas Suas ações que Ele é o Rei Soberano que quer manifestar a Sua MISERICÓRDIA E SALVAÇÃO ÀS NAÇÕES!
Atitudes falam alto. E tem um ditado que diz que elas falam mais alto que Palavras. Então, temos no Livro de Jonas palavras que mostram as atitudes de Deus para nossa salvação:
Um Deus que envia um profeta aos gentios. Um Deus que vence a rebelião desse profeta e cumpre Seu desejo de manifestar misericórdia e justiça aos gentios. Um Deus que nas atitudes de rebeldia de Jonas, mostra o perigo que a Igreja tem de ser soberbamente zelosa ao ponto de ser forçada a cumprir seu ofício no mundo.
Sendo assim, chamo você a ouvir a mensagem de Deus no Livro de Jonas. A mensagem no seguinte tema:

O SENHOR DEUS começa a revelar Sua justiça e salvação aos gentios:

Revelação que vem através de Jonas
Revelação que salva os marinheiros da ira de Deus

1. O SENHOR DEUS começa a revelar Sua justiça e salvação aos gentios: Revelação que vem através de Jonas

Amados irmãos, a leitura que fizemos mostra que os marinheiros estavam tomados de pânico por causa da grande tempestade (vs. 1-5). Eles já tinham despertado o dormente Jonas, que de cansado dormia no fundo do navio no meio da tempestade. Os marinheiros temiam a perdição (v.6).
Os marinheiros tinham plena consciência desde o início que por causa de um todos estavam sofrendo o mal (veja o v.7: o texto diz por causa de quem)! Por isso, no meio do sufoco os marinheiros gentios recorrem aos seus deuses para saber quem deles era o culpado daquela tempestade violenta que os ameaçava de perdição.
Meus amados irmãos, todos pagam o pato quando um erra! Este parece ser um pensamento impresso na mente do homem, mesmo se este homem não tenha consciência da Lei de Deus e da Sua Aliança.
Por isso, o homem sempre busca um culpado para explicar uma catástrofe, ou uma pestilência ou fracasso de um plano. Veja quando algo de ruim acontece na vida de um descrente ele logo pergunta: O que fiz para merecer esse mal? O que fiz de errado?
Mas, este sentimento de culpa ou que há um culpado pelo mal vem da semente divina no homem. Esta semente consegue levá-lo a ver na criação a justiça e ira de Deus sobre os homens pecadores. A Escritura diz em Rm 1.18-20, que a ira de Deus e todos os atributos de Deus podem ser percebidos na criação.
Por isso, aqueles marinheiros foram levados pela tempestade a perceber a ira de Deus e a procurar o culpado por aquele mal. E Deus, pela providência, revelou quem era o culpado.
E como a providência de Deus agiu? O texto diz que eles chamaram uns aos outros e lançaram sortes (veja o v. 7): “Vinde, e lancemos sortes, para que saibamos por causa de quem nos sobreveio este mal”.
O lançar sorte era uma prática comum nas nações pagãs e até no meio do povo de Deus, pois Deus estabeleceu em Israel o lançar sortes para revelar a Sua vontade quanto alguns assuntos específicos (veja em casa Lv 16.9; Lv 33.54; Ne 10.34,35). E no NT vemos os apóstolos usando o lançamento de sortes uma vez para resolver quem dentre Matias e José seria um apóstolo (At 1.26).
Os marinheiros usaram o lançamento de sortes para saber quem era o culpado de todo aquele mal. Eles acreditavam que teriam uma resposta. E resposta chegou, pois a sorte lançada revelou o culpado… A sorte caiu sobre Jonas (v.7). O livro de Provérbios diz que a sorte é lançado ao regaço, mas do Senhor procede toda decisão (Pv 16.33).
Deus na Sua providência usou a atitude supersticiosa dos marinheiros para revelar a rebeldia de Jonas contra Deus. O que acontece com Jonas é uma lição para a Igreja.
Meus irmãos, Jonas pensou que poderia fugir de Deus, mas Deus manda uma tempestade violenta. Jonas pensava que no meio de gentios estaria escondido, mas Deus pela providência usa os gentios para revelar que Jonas era o culpado pelo mal.
Meu irmão, não há como fugir e se manter escondido de Deus. Deus revelará numa hora ou noutra os pecados que cometemos contra Ele. Por isso, não adianta fugir, nem se esconder, pois o nosso pecado será revelado quando menos esperarmos e por meio de coisas que nem imaginamos. Isto aconteceu com Jonas!
Meus irmãos, especialmente as crianças, prestem atenção: … Você pode imaginar os marinheiros molhados pela tempestade, tremendo de frio e medo, olhando para o desconhecido que acabara de ser acordado? Eles olhavam para Jonas a quem a sorte indicava como o culpado de todo mal… que situação desconsertante para um profeta de Deus.
Meus irmãos, como é desconsertante para um crente ser desmascarado em sua rebeldia contra Deus por pessoas descrentes e que não conhecem ao Senhor. Acho que ninguém aqui deseja passar por algo parecido.
Por isso, o bom é sempre cumprirmos o nosso ofício para com Deus e honrar nossa posição de servos de Deus, para que o nome de Deus não seja blasfemado e não passemos por vergonha como aconteceu com Jonas.
E veja o v. 8: Os marinheiros dirigem a palavra a Jonas e lhe ordena: “declara-nos, agora, por causa de quem nos sobreveio este mal. Que ocupação é a tua? Donde vens? Qual a tua terra? E de que povo és tu?
As perguntas feitas a Jonas pelos marinheiros são normais a um desconhecido que é pego por num crime dentro de um navio. Mas, mesmo assim, veja como Deus envergonha Jonas, pois as perguntas dos marinheiros levarão Jonas a confessar com sua boca o seu erro. …
Agora veja o v. 9 e compare as respostas de Jonas com as perguntas dos marinheiros: Parece que Jonas quer enrolar, pois ele começa a responder de trás para frente as perguntas feitas pelos marinheiros. Isto é normal, pois para pecarmos não fazemos rodeio, mas pecamos logo. … Porém, para confessar nosso pecado é outra história… ficamos travados, parece que não entendemos bem as perguntas que ajudarão nossa confissão ser feita e … a nossa língua parece estar enrolada dentro da boca.
Mas, mesmo assim, Jonas começa a responder. A primeira resposta de Jonas responde as três últimas perguntas dos marinheiros:
Jonas diz que é hebreu. Esse era o modo de um israelita falar de si mesmo a um estrangeiro ( veja em casa por exemplo: Gn 40.15; 9.1,13). Esta resposta identifica Jonas ao povo de Deus, Israel, pois os gentios conheciam os israelitas como Hebreus.
Agora uma coisa interessante: a segunda resposta de Jonas fala acerca do Deus a quem ele serve. Mas, olhe as perguntas dos marinheiros no v. 8. … Eles perguntaram quem era o Deus de Jonas em algum lugar? Não! Então, por que Jonas fala do Deus da Aliança?
A resposta é: Jonas quer responder qual é a ocupação dele. Jonas falou quem era o seu Deus e isto era o mesmo que falar qual era a sua ocupação, seu ofício. Jonas diz: “eu sou um temente a Yahweh, o Deus do céu, que fez o mar e a terra seca”. Assim Jonas responde aos marinheiros qual era a ocupação dele.
Saiba que os judeus que traduziram o Antigo Testamento para o grego deram ao v. 9 este sentido, pois assim está escrito na Septuaginta: “E [Jonas] respondeu a eles: Servo do senhor eu sou e ao senhor Deus do céu eu adoro, aquele que fez o mar e a terra seca!
Meus amados irmãos, as palavras de Jonas sobre Deus e que ele era um temente adorador apontaram para o seu ofício. Jonas não tem como negar que era um profeta do SENHOR mesmo estando em profunda rebeldia contra o ofício e o Deus que o ordenou.
Agora, você pode imaginar um servo do Senhor e um temente a Deus, que não tem um coração disposto para servir nem que mostra temor pelo Senhor? Isto não combina! Jonas caiu numa contradição vergonhosa diante dos gentios, pois o Zelo dele era sem amor.
Amados irmãos, devemos tomar muito cuidado para não sermos soberbamente zelosos, ou seja, zelosos sem amor ao ponto de contrariar o ofício que Deus nos deu e a vontade revelada de Deus para nós!
Se cairmos num zelo soberbo, com toda certeza, Deus nos disciplinará e passaremos vergonha diante dos homens. Veja Jonas e veja Israel que tinham tanto zelo, porém, sem amor e até hoje são monumentos vergonhosos diante dos gentios!
Meu irmão e ouvintes, o Zelo que tenho para servir a Deus não deve ser conforme minhas idéias, por melhor que estas idéias pareçam ser aos meus olhos! Entenda que suas idéias zelosas não podem ser a senhora de sua vida.
Saiba que o Zelo só é bom quando é feito com entendimento da misericórdia de Deus para com todos os homens, especialmente, para com a Igreja. Assim o Zelo é edificante, pois é feito em submissão à vontade de Deus revelada!
Meu irmão, Jonas, um servo do SENHOR, um profeta, e um adorador de Deus estava cego por seu zelo soberbo e, por isso, foi envergonhado diante dos gentios. Deus fez isto por amor e misericórdia a Jonas e aos gentios.
A Escritura diz que Deus não deixa de disciplinar a quem ama, Deus, resolve envergonhar Jonas e mostrar sua glória. Como? Deus leva Jonas a confessar sua culpa e, ao mesmo tempo, manifestar Sua glória e Sua Soberania a Jonas e aos gentios que com ele estavam. … E isto nos leva ao segundo ponto do sermão:

2. O SENHOR DEUS começa a revelar Sua justiça e salvação aos gentios: Revelação que salva os marinheiros da ira de Deus

Veja o verso 10: Os marinheiros já tinham consciência que o que acontecia era a ira de um deus, mas agora eles são ensinados por Jonas que eles provam a IRA DO DEUS TODO-PODEROSO, Deus do Céu, criador do mar e da terra seca!
Então, quando Jonas confessa seu crime contra Deus os marinheiros são tomados de mais medo ainda, pois o texto fala de um grande temor os possuiu (veja o v. 10)!
E nesse grande terror eles perguntarem a Jonas: “que é isto que fizeste? Note que os gentios percebem a tamanha rebeldia de Jonas em tentar afrontar e fugir de um Deus tão soberano. Os marinheiros percebem que vão perecer juntamente com Jonas.
Porém, Deus mostra a Jonas e a Igreja que Seu plano de manifestar sua misericórdia e a Salvação aos gentios prevalece sobre o zelo soberbo de Jonas e de Israel (veja o v. 11).
O que os marinheiros gentios fizeram? Eles pedem que Jonas diga o que eles devem fazer para serem salvos da ira do SENHOR Deus. E o que Deus fez Jonas fazer? (veja o v. 12)
Deus forçou Jonas ver que é Seu desejo que um hebreu ensine o caminho da salvação para os gentios (veja o v. 12). Sabe o que Deus com isso ensina a Jonas e a igreja de todas as épocas? O papel da Igreja no plano da Redenção das nações.
Deus mostra a Jonas o papel mediador e profética da Igreja. É vontade do SENHOR Deus usar a Sua igreja para falar aos gentios o caminho para serem salvos da perdição!
Essa é uma das mensagens dentro do Livro de Jonas. O SENHOR Deus mostra o papel da Igreja para levar a mensagem de Salvação aos gentios! O SENHOR Deus diz a Abraão: Em ti serão benditas todas as famílias da terra! E na história da redenção o SENHOR Deus usou, usa e usará a igreja no seu ofício mediador e profético para anunciar a salvação aos gentios! Então, Jonas, como profeta de Yahweh, e Israel não podiam negligenciar seu ofício.
E hoje quem faz o papel mediador e profético para as nações? É a igreja cristã! A Igreja de Cristo que, por Cristo e em Cristo, tem seus ministros como profetas e é o atual Israel de Deus. Essa igreja não pode negligenciar seu ofício de falar as nações o caminho para Salvação da Ira de Deus!
A Igreja de Cristo deve ir às nações por meio do Ministério da Palavra para proclamar a todos que o Caminho para eles serem salvos do furioso mar da Ira de Deus é crer no sacrifício de um hebreu!
– Agora… De que hebreu? De Jonas? … Não, Jonas não podia nem se salvar, pois ele era um pecador, causador da ira de Deus e merecedor da perdição!
O hebreu que é o sacrifício para nossa salvação É JESUS CRISTO! Jesus Cristo, segundo a carne, É um hebreu.
O Evangelho diz que Jesus foi lançado para dentro do mar da Ira de Deus como sacrifício para salvar a todo aquele que nEle crê! Assim, Jesus Cristo foi o hebreu sacrificado para salvação de homens, mulheres e crianças “que procedem de toda tribo, língua, povo e nação” (Ap 5.9).
O que aconteceu com Jonas e os marinheiros gentios naquele barco é uma verdadeira mensagem de Deus para todos, especialmente, para a Igreja. Deus garante que sempre vai prevalecer e vai fazer a Igreja cumprir o seu ofício mesmo que tenha que forçá-la a isto como fez com Jonas!
Deus forçou Jonas a ver que é Seu desejo que um hebreu seja o mediador entre Deus e os gentios. … Deus forçou Jonas a ver que é Seu desejo que os gentios sejam instruídos por um hebreu! … Deus forçou Jonas ensinar aos gentios que o sacrifício de um hebreu é que fará a justiça de Yahweh ser satisfeita!
Isso tudo aconteceu lá nos dias de Jonas, para nos instruir hoje qual o nosso papel como igreja no mundo! Para nos levar a lutar contra o Zelo Soberbo e cumprirmos a vontade de Deus para salvação prometida na Aliança em Cristo chegue às nações.

Concluindo:

E o que os gentios fazem quando ouvem a instrução de Jonas? Eles não obedecem a instrução de Jonas! Eles parecem que não creram que o sacrifício de Jonas seria o pagamento para justiça de Deus e para salvação deles. E os marinheiros gentios tentaram se salvar com suas próprias forças (v. 13). Isto é importante para notarmos… Veja a atitude dos gentios. E diga: Qual a diferença entre a atitude de Jonas e a atitude dos gentios diante da instrução recebida?
Meu irmão, veja que tanto Jonas como os gentios não mostraram submissão as instruções de Deus. Isto mostra que tanto hebreus como gentios (em si mesmos) são farinha do mesmo saco, quando o assunto é se submeter a revelação da justiça de Deus!
O homem seja judeu ou gentio sempre quer colocar suas idéias de justiça e salvação acima da revelação de Deus. E o que acontece sempre? Judeus e gentios vão quebrar a cara e perecerão se não se submeterem a revelação de Deus.
Agora, veja no v. 13 a atitude soberana e misericordiosa de Deus: Deus fez o mar ficar mais tempestuoso ainda ao ponto de dobrar a vontade dos gentios e levá-los a crer nas palavras de Jonas.
E qual a conseqüência quando o homem (judeu ou gentio) é dobrado e levado a obedecer e a se submeter a vontade de Deus a Sua justiça? … A resposta é: SALVAÇÃO! Os gentios são convencidos por Deus a crerem nas palavras de Jonas (vejam os vs. 14-16).
Os marinheiros oraram a Deus (v. 14), reconheceram a justiça de Deus e Sua soberania como Juiz de todas as almas. Eles, não viam a culpa de Jonas, mas confiam na revelação de Deus manifestada na sorte lançada. Então, pela Fé na palavra de Jonas tomam e lançam Jonas ao mar furioso. E logo a ira de Deus é satisfeita, pois o mar se acalma.
E qual a conseqüência da fé? Os marinheiros gentios são salvos da Ira de Deus, temem grandemente ao SENHOR Deus da Aliança, oferecem a Ele sacrifícios e fazem votos. A atitude dos marinheiros gentios mostram arrependimento e conversão ao Deus da Aliança.
Meu amado irmão, a mensagem de Deus no Livro de Jonas chama a Igreja a cumprir o seu chamado mediador e profético de anunciar a Salvação ao mundo. O SENHOR Deus é Soberano e garante a execução do Seu plano de Salvação para as nações!
Você como membro da igreja não deve esperar Deus forçar você a fazer seu papel. Você por gratidão a Deus deve fazer seu papel para que a igreja cumpra seu ofício mediador e profético no mundo:
Se você é oficial, então, cumpra seu ofício com zelo amoroso e submisso a vontade de Deus, para salvação daqueles que estão em perigo de perdição eterna. … Se você é membro, então, disponha com alegria e amor seus dons a Deus, para que Ele use o ministério da Palavra e assim proclame ao mundo a Salvação, por pura graça, somente pela Fé no Sacrifício de Jesus Cristo.
Esse CHAMADO pode ser visto na Atitude de Deus para com Jonas e para com marinheiros gentios. …
Então, comece agora a ser um instrumento para Deus revelar sua misericórdia e justiça em Cristo ao mundo perdido! Cumpra com alegria e disposição o ofício que Deus deu a você, para que muitos por meio de você ouçam a instrução para Salvação em Cristo Jesus e, pela Fé, por pura graça, sejam salvos. Amém.

Nenhum comentário: