quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Um pouco da História do Catecismo de Heidelberg

O Catecismo de Heidelberg foi elaborado no ano de 1563 a pedido do Príncipe eleitor Frederico III, que governava o Palatinado, uma província da antiga Alemanha. O Eleitor Frederico III queria um catecismo para instrução dos jovens e para servir de guia para pastores e professores. Para este importante trabalho ele chamou os Doutrores Zacarias Ursinos e Gaspar Olevianus.
O Catecismo foi bastante usado na Faculdade de Heidelberg, chegando a ser adotado por um Sínodo em Heidelberg e publicado em Alemão com um prefácio de Frederico III datado de 19 de janeiro de 1563. Este catecismo era ensinado nas igrejas em cada domingo de todos os anos.
Neste mesmo ano na cidade de Heidelberg foram publicadas uma segunda e terceira edições em Alemão do Catecismo com algumas adições como também uma tradução em Latim.
O Catecismo de Heidelberg foi introduzido na Holanda por meio do Rev. Pedrus Dathenus. Este irmão o traduziu para o holandês e o anexou a sua tradução holandesa do Saltério de Genebra, que foi publicado no ano de 1566. Neste mesmo ano o Pr. Peter Gabriel começou a expor o Catecismo em seus sermões nos cultos dos domingos a tarde como foi feito no Palatinado.
O Catecismo de Heidelberg foi adotado no Século XVI por um Sínodo Nacional das igrejas na Holanda como uma de suas Três Formas de Unidade. Neste mesmo sínodo foi requerida dos oficiais a subscrição dessas Três Formas e os ministros deviam explaná-las para as igrejas. O Grande Sínodo de Dort (1618-1619) reforçou fortemente esta posição.
Agora quando este Catecismo Europeu chegou no Brasil? Ele chegou em dois períodos.
O primeiro foi no tempo do Governo Holandês no Nordeste. Há uma ligação estreita entre o Catecismo de Heidelberg e o Brasil. Poucos conhecem esta ligação, porque ela ocorreu no passado durante o período que os holandeses governaram o Nordeste do Brasil nos anos de 1630-1654. O grande referencial dessa época é o Conde Maurício de Nassau.
Nesta época foi usada uma tradução em português do Catecismo de Heidelberg para ensinar os nordestinos de língua portuguesa as bases da Fé Bíblica. Também foi feita uma tradução em Tupi-Guarani para a evangelização dos índios brasileiros.
O segundo período foi no início da década de 70, quando as missões das Igrejas Reformadas da Holanda e do Canadá iniciaram trabalhos no Sul e no Nordeste do Brasil. No ano de 2000 as Igrejas Reformadas do Brasil se confederaram e adotaram As Três Formas de Unidade e, consequentemente, o Catecismo de Heidelberg.
Sendo assim, temos referenciais na história do mundo e do Brasil que este Catecismo não é algo novo, produto de uma seita, mas um documento antigo e bem usado pelas igrejas fruto da Reforma Protestante do Séc. XVI.
O Catecismo de Heidelberg tem sido traduzido em diversas línguas para instruir na Fé muitos crentes em Jesus Cristo em diversas épocas e lugares. Por isso, aproveite bem do seu estudo, sabendo que ao confessar a Fé Bíblica exposta no Catecismo de Heidelberg você está bem acompanhado pelos crentes em Cristo espalhados na História da Igreja e no mundo inteiro.

As Divisões e os Temas do Catecismo de Heidelberg

1. Nosso Catecismo tem 3 Divisões e os Temas:

1.1. A Primeira fala de nossa Miséria (1-4);
1.2. A Segunda fala de nossa Salvação (5-31);
1.3. A Terceira fala de nossa Gratidão (32-52);

2. Estas 3 Divisões e os Temas são apresentados em 52 Domingos. Este número foi escolhido especialmente para que em cada Domingo do ano o Catecismo fosse exposto às igrejas (um ano tem normalmente 52 de domingos).

Nenhum comentário: